Show simple item record

dc.contributor.advisorJúnior, Heitor Wensing
dc.contributor.authorHentges, Pricila
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2020-12-14T13:04:55Z
dc.date.available2020-12-14T13:04:55Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/11139
dc.descriptionOBJECTIVE: The present work sought to analyze the issue of false memories and the factors that generate this phenomenon, as well as the presentation of measures that aim to give a greater degree of reliability to testimonial evidence in the scope of criminal procedural law, analyzing the way the doctrine and the legislation itself faces the problem. METHOD: This is an exploratory research with a qualitative approach; as for the procedure, classified as a collection of bibliographic and documentary data, based on studies of doctrines, scientific articles and legislation itself, mainly the Code of Criminal Procedure. RESULTS: During the study, it was found that memory is fragile and can be influenced by several internal factors (moods, emotions, alertness, anxiety and stress) and external factors (media, time and method used) by the interviewer), leading to its contamination, such as memories falsification. CONCLUSION: Bearing in mind that testimonial evidence is the most used evidence in the Brazilian criminal process, it was necessary to present damage reduction measures, such as the collection of oral evidence within a reasonable time, aiming to soften the influence of the time (forgetfulness) in memory, as well as the cognitive interview, aiming to combat and/or minimize the suggestive bias and the wrong methods used by the interviewers.pt_BR
dc.description.abstractOBJETIVO: O presente trabalho buscou analisar a questão das falsas memórias e os fatores que geram esse fenômeno, bem como a apresentação de medidas que visam dar maior grau de confiabilidade à prova testemunhal no âmbito do direito processual penal, analisando a maneira como a doutrina e a própria legislação enfrentam a problemática. MÉTODO: Trata-se de pesquisa exploratória e de abordagem qualitativa; quanto ao procedimento, classificada como uma coleta de dados bibliográfica e documental, baseada em estudos de doutrinas, artigos científicos e da própria legislação, principalmente o Código de Processo Penal. RESULTADOS: Durante a realização do estudo, constatou-se que a memória é frágil, podendo sofrer influência de diversos fatores internos (estados de ânimo, emoções, nível de alerta, ansiedade e estresse) e externos (mídia, transcurso do tempo e método utilizado pelo entrevistador), acarretando em sua contaminação, como a falsificação das memórias. CONCLUSÃO: Tendo em vista que a prova testemunhal é o meio de prova mais utilizado no processo penal brasileiro, mostrou-se necessário apresentar medidas de redução de danos, como a colheita da prova oral em um prazo razoável, objetivando-se suavizar a influência do tempo (esquecimento) na memória, bem como a realização da entrevista cognitiva, visando combater e/ou minimizar o viés sugestivo e os métodos equivocados utilizados pelos entrevistadores.pt_BR
dc.format.extent64pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofDireito - Tubarãopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectProcesso Penalpt_BR
dc.subjectFalsas memóriaspt_BR
dc.subjectProva Testemunhalpt_BR
dc.titleA influência das distorções da mente na prova testemunhal em virtude das falsas memóriaspt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons