Show simple item record

dc.contributor.advisorBartilotti, Carolina Bunn
dc.contributor.authorGorges, Karoliny Scharmann
dc.coverage.spatialPalhoça, SCpt_BR
dc.date.accessioned2020-12-15T02:31:09Z
dc.date.available2020-12-15T02:31:09Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/11291
dc.description.abstractA Resolução CFP n° 18/2019, publicada em 05 de setembro de 2019, reconhece a Avaliação Psicológica (AP) como especialidade da Psicologia; entretanto, compreende-se que este é um processo imprescindível na atuação do profissional de Psicologia, independentemente do campo/área de atuação em que o psicólogo esteja inserido. Considerando este entendimento, esta pesquisa analisou a percepção de profissionais de Psicologia e estudantes de graduação em Psicologia sobre a concessão do título de especialista em Avaliação Psicológica, regulamentada pela Resolução CFP n° 18/2019. A pesquisa caracterizou-se como exploratória, de corte transversal, de natureza quantitativa, de levantamento e utilizou de estatística descritiva para sua análise. Quanto aos resultados, pode-se perceber que, em sua maioria, tanto estudantes de graduação em Psicologia (69%, n=90) quanto profissionais de Psicologia (79%, n=170), concordam com a concessão deste título de especialista. No que tange às justificativas de concordância, foi possível identificar que são referentes à caracterização e identificação dos profissionais que realizam avaliação ou testagem psicológica, bem como referentes à identificação de profissionais mais qualificados nesse processo. Em relação às justificativas de discordância, estudantes e profissionais expuseram não concordar com essa titulação, pois consideram que o processo de Avaliação Psicológica é fundamental para a atuação do psicólogo, sendo assim, a concessão do título de especialista pode acarretar a interpretação de que aqueles que não são especialistas em Avaliação Psicológica não precisam se aprofundar em conhecimentos relacionados a este processo. Outro dado relevante encontrado na pesquisa tange à, ainda presente, associação da Avaliação Psicológica como sinônimo de testagem psicológica. Em suma, pode-se concluir que tanto estudantes como profissionais, majoritariamente, concordam com a concessão do título de especialista, bem como faz-se importante ressaltar a necessidade de mais pesquisas que abordem a temática de Avaliação Psicológica, discutam a sua relevância no cotidiano do profissional de Psicologia e desmistifiquem o processo de AP como sinônimo de aplicação de testes psicológicos.pt_BR
dc.format.extent25 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPsicologia - Pedra Brancapt_BR
dc.rightsAttribution-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/*
dc.subjectTítulo de especialistapt_BR
dc.subjectAvaliação Psicológicapt_BR
dc.subjectAtuação Profissional em Psicologiapt_BR
dc.titleA PERCEPÇÃO DE PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA E ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOBRE A CONCESSÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA EM AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA, REGULAMENTADA PELA RESOLUÇÃO CFP N° 18/2019pt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons