Show simple item record

dc.contributor.advisorBallock, Lauro Josépt_BR
dc.contributor.authorScarduelli, Alyce Moreira de Oliveirapt_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T15:01:12Z
dc.date.available2016-11-30T15:01:12Z
dc.date.issued2012
dc.identifier1874pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/1199
dc.description.abstractObjetivo: Levantar o número de inquéritos policiais instaurados na Central de Plantão Policial localizada no município de Tubarão ¿ SC, no período de 2008 a 2010, em que foram concluídos pela prática dos crimes de furto e roubo, para conhecer o percentual de infratores que fazem uso de drogas ilícitas, bem como traçar o seu perfil aproximado. Método: Neste trabalho utilizamos o método de abordagem quantitativa, quanto ao nível da pesquisa em exploratória e descritiva, e com relação ao procedimento pesquisa bibliográfica e documental. Foram analisados 401 inquéritos policiais, sendo 185 referentes ao ano de 2008, 147 do ano de 2009 e 69 do ano de 2010, instaurados na Central de Plantão Policial do município de Tubarão - SC. Resultados: O percentual dos indivíduos que cometeram crimes de furto e roubo e que consomem algum tipo de substância psicoativa é expressivo, tendo o maior índice em 2008 (78,2%), sofrendo uma redução em 2009 (64,2%) e crescimento em 2010 (70,6%). Os dados do uso exclusivo de drogas ilícitas foram os mais altos em 2008 (40,6%) e 2009 (53,8%), passando para o segundo lugar em 2010 (35,8%), tendo em vista que nesse período o maior percentual foi para os que usam tanto drogas ilícitas quanto lícitas (39,6%). Com relação às drogas ilícitas mais consumidas, o crack é o campeão em número de usuários, com 72,2% em 2008, 66% no ano de 2009 e 47,3% em 2010. Registramos o aumento, gradativo, dos dependentes em maconha e crack, com 5,5% em 2008, passando para 14,2% em 2009 e chegando em 21% em 2010; os que usam somente maconha, com 3,7% em 2008, indo para 10,7% em 2009 e alcançando 15,7% no ano de 2010; bem como daqueles que usam cocaína, crack e maconha, em que esse número era de 5,5% em 2008, subindo para 7,1% em 2009 e obtendo 10,5% em 2010. Quanto aos crimes, o furto, durante os três anos, manteve-se bem acima dos índices de roubo, apresentando o percentual de 87,1% em 2008, passando para 91,4% em 2009 e reduzindo para 81% em 2010. Quanto ao crime de roubo, este teve dados baixos em 2008 (12,8%) e 2009 (8,5%), sendo revelado seu crescimento no período de 2010 (18,9%). Conclusão: A pesquisa aponta que mais da metade dos infratores são dependentes de substâncias ilegais, comprovando a existência da associação entre o uso de drogas ilícitas e crimes de furto e roubo, porém, indo mais além, este estudo trouxe dados valiosos, já que pudemos identificar as drogas ilícitas mais usadas, sua evolução e involução nos anos pesquisados, bem como a elaboração do perfil aproximado do infrator, podendo esses dados auxiliar em estratégias voltadas para a redução dos índices encontrados.pt_BR
dc.description.abstractObjetive: To raise the number of police investigations instituted Central on Duty Police in the municipality of Tubarão - SC, in the period from 2008 to 2010, which were completed in the crimes of theft and robbery, to know the percentage of offenders who are illicit drug use, and plot your approximate profile. Method: In this paper we have used a quantitative approach, the level of research in exploratory and descriptive, and research regarding the procedure in literature and documents. We analyzed 401 police investigations, 185 for the year 2008, 147 of 2009 and 69 of 2010, filed with the Central on Duty Police of the municipality Tubarão - SC. Results: The percentage of individuals who have committed crimes of robbery and theft and consuming some kind of psychoactive substance is impressive, having the highest rate in 2008 (78.2%), decreasing in 2009 (64.2%) and growth in 2010 (70.6%). Data from the exclusive use of illicit drugs were the highest in 2008 (40.6%) and 2009 (53.8%), rising to second place in 2010 (35.8%), considering that in this period the percentage was greater for those who use illicit drugs as both licit (39.6%). With respect to illicit drugs most commonly used, the crack is the champion in number of users, with 72.2% in 2008, 66% in 2009 and 47.3% in 2010. We recorded an increase, gradual, dependent on the crack and marijuana, with 5.5% in 2008, rising to 14.2% in 2009 and reaching 21% in 2010; those who use only marijuana, with 3.7% in 2008 , going to 10.7% in 2009 and reaching 15.7% in 2010, as well as those using cocaine, crack and marijuana, when that number was 5.5% in 2008, rising to 7.1% in 2009 and obtaining 10.5% in 2010. As for crime, theft, during the three years, remained well above the rates of theft, with the percentage of 87.1% in 2008, rising to 91.4% in 2009 and decreasing to 81% in 2010. As for the crime of theft, this data was lower in 2008 (12.8%) and 2009 (8.5%), being revealed in their growth period of 2010 (18.9%). Conclusion: The study suggests that more than half the inmates are addicted to illegal substances, proving the existence of the association between illicit drug use and crimes of theft and robbery, but going beyond, this study provided valuable data, since we identify the most commonly used illicit drug, its evolution and involution in the years studied, and the design of the approximate profile of the offender, such data can assist in strategies aimed at reducing the rates found.en
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofDireito - Tubarão
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectNarcóticos e crimept_BR
dc.subjectClassificação de crimespt_BR
dc.subjectCriminosospt_BR
dc.titleAssociação entre o uso de drogas ilícitas e crimes de furto e roubo ocorridos no município de Tubarão - SC, no período de 2008 a 2010pt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.isReferencedByTCC (Graduação em Direito)pt_BR
dc.hasPart110578_Alyce.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons