Show simple item record

dc.contributor.advisorSilveira, José Luiz Gonçalves da
dc.contributor.authorPlácido, Cláudio Henrique da Silva
dc.coverage.spatialCascavel/PRpt_BR
dc.date.accessioned2020-12-26T12:01:49Z
dc.date.available2020-12-26T12:01:49Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/12109
dc.description.abstractDesde o início da década de 1990, particularmente no Estado do Rio de Janeiro, as Forças Armadas têm sido demandadas para colaboração na área de Segurança Pública ou em ações subsidiárias, tendo em vista a falência do sistema de segurança pública fluminense. Segundo teoria majoritariamente aceita no meio acadêmico, os criminosos comuns, convivendo com presos políticos, particularmente no Instituto Penal Cândido Mendes, no estado do Rio de Janeiro, teriam assimilado singular capacidade de organização e planejamento, espírito de corpo e visão gerencial, além de passar a dominar técnicas de guerrilha urbana, utilizando-as na prática de assaltos, sequestros e na execução de fugas. Buscando evitar a violência, a banalização das mortes e a atuação indiscriminada da polícia nas comunidades, o que era uma realidade, foram restringidas à época as ações de enfrentamento nos morros e o tráfico soube explorar, com extrema habilidade, as manifestações de civilidade do poder público carioca. Para um melhor entendimento do tema, faz-se necessário a abordagem de um conceito mais abrangente que melhor defina o termo segurança pública. Nesse contexto, pode-se afirmar que a segurança pública é um dos direitos humanos fundamentais de uma sociedade organizada, onde o estado detém a responsabilidade pela manutenção da ordem pública, da incolumidade da pessoa e do patrimônio, prevenindo e controlando manifestações da criminalidade e da violência e garantindo, assim, o exercício pleno da cidadania nos limites da lei. A Constituição Federal claramente ampara o emprego das Forças Armadas nas ações de garantia da lei e da ordem, podendo esse emprego ser solicitado por qualquer dos três poderes, não existindo entre as diversas missões qualquer referência à hierarquia ou emprego principal. Ao final, buscou-se identificar as causas do insucesso do estado do Rio de Janeiro, na área de Segurança Pública, as quais provocaram um aumento do emprego das Forças Armadas, particularmente do Exército Brasileiro, em operações de Garantia da Lei e da Ordem naquela unidade da Federação.pt_BR
dc.format.extent43pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofGestão Integrada da Segurança Pública - Unisul Virtualpt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectSegurança Públicapt_BR
dc.subjectRio de Janeiropt_BR
dc.subjectExército Brasileiropt_BR
dc.titleA situação da segurança pública fluminense e o impacto na emprego do Exército Brasileiro na garantia da lei e da ordem no estadopt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons