Show simple item record

dc.contributor.advisorRocha, LUCIANO DAUDT
dc.contributor.authorSouza, Nathan Willian
dc.coverage.spatialFlorianopolis - SCpt_BR
dc.date.accessioned2021-03-08T13:53:05Z
dc.date.available2021-03-08T13:53:05Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/12354
dc.descriptionThis work aims to bring into international relations an analysis of new technologies from the perspective of social networks, modeling and data profiling, as a motivation to manipulate public opinion. This, because it understands that the subject in contemporary times lives up to the dangers of using these technologies while devoid of regulation. The consequences of this can be so serious as to injure a democracy, as in the circumstances of the 2016 electoral process, which led Donald John Trump to be elected as the 45th president of the United States. In the first chapter, a brief introduction about the connection aspects between technology, cyberspace and International Relations is presented, emphasizing the importance of the subject for understanding the 2016 election in the United States. In the second chapter, it is described how and what elements lead us to understand that the world is witnessing a rupture in its democratic processes. It discusses the consequences of the 2016 elections and the role of Donald John Trump based on an analysis of how his speeches influenced the electoral process as they met with the discredit of the institutions. In the third chapter, the evolution of the use of the internet by the global society is presented; functioning of data modeling and profiling; and how the use of these data has an impact within political contexts and democracy. Finally, in the fourth chapter, the pillars are presented that justify that in fact democracy was hurt in the 2016 electoral process, through 3 main approaches: the new model of electoral campaigns based on Fake News; Donald Trump's pioneering spirit in these “new channels”, mainly because of his troubled relationship with traditional media; and, finally, the analysis of elements of these approaches as detractors of democracy, still in the context of the 2016 elections of the United States of America. As a conclusion of this study, the importance of guaranteeing institutions in the democratic model is reinforced, as well as the attention given to the ways that modern society can advance to guarantee the security of user data made available through internet channels, such as social networks.pt_BR
dc.description.abstractEste trabalho tem por objetivo trazer para dentro das relações internacionais uma análise sobre as novas tecnologias no viés das redes sociais, modelagem e perfilamento dados, como motivação à manipulação de opinião pública. Isto, por entender que o assunto na contemporaneidade faz jus aos perigos da utilização dessas tecnologias enquanto desprovidos de regulamentação. As consequências disso podem ser graves a ponto de ferir uma democracia, a exemplo das conjunturas do processo eleitoral de 2016, que levou Donald John Trump a ser eleito como o 45° presidente dos Estados Unidos. No Primeiro capítulo, é apresentado uma breve introdução sobre os aspectos de ligação entre tecnologia, ciberespaço e as Relações Internacionais, ressaltando a importância do assunto para entendimento da eleição de 2016 nos Estados Unidos. No Segundo capítulo, é descrevido como e quais elementos nos direcionam a compreender que o mundo está presenciando uma ruptura em seus processos democráticos. Discorre-se sobre os desdobramentos das eleições de 2016 e do papel de Donald John Trump a partir de uma análise de como seus discursos influenciaram no processo eleitoral por virem de encontro com a descredibilizarão das instituições. No terceiro capítulo, é apresentada a evolução do uso da internet pela sociedade global; funcionamento da modelagem e perfilamento de dados; e como o uso desses dados tem impacto dentro de contextos políticos e na democracia. Finalmente, no quarto capítulo, é apresentado os pilares que justificam que de fato a democracia foi ferida no processo eleitoral de 2016, através de 3 abordagens principais: o novo modelo de campanhas eleitorais embasado em Fake News; o pioneirismo de Donald Trump nesses “novos canais”, sobretudo por conta de seu relacionamento conturbado com mídias tradicionais; e, por fim, a análise de elementos dessas abordagens como detratoras da democracia, ainda no contexto das eleições de 2016 dos Estados Unidos da América. Como conclusão deste estudo, reforça-se a importância da garantia das instituições no modelo democrático e também a atenção frente aos caminhos que a sociedade moderna pode avançar para garantir a segurança dos dados de usuários disponibilizados através de canais na internet, como as redes sociais.pt_BR
dc.format.extent51pt_BR
dc.language.isopt_PTpt_BR
dc.relation.ispartofRelações Internacionais  - Florianópolispt_BR
dc.rightsAttribution-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/*
dc.subjectPalavras-chave: Democracia. Tecnologias. Eleições de 2016.pt_BR
dc.titleREDES SOCIAIS E A INFLUÊNCIA DE DADOS NA ELEIÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS DE 2016pt_BR
dc.title.alternativeSOCIAL NETWORKS AND THE INFLUENCE OF DATA ON ELECTION IN THE UNITED STATES 2016pt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons