Show simple item record

dc.contributor.advisorBartilotti, Carolina Bunnpt_BR
dc.contributor.authorDietrich, Gabriela de Souzapt_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T15:03:43Z
dc.date.available2016-11-30T15:03:43Z
dc.date.issued2010
dc.identifier734pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/1504
dc.description.abstractVisando buscar modos de abordar a saúde dos trabalhadores nas organizações, este trabalho refere-se à percepção de trabalhadores do setor operacional do ramo de confecção, acerca de suas condições de trabalho e o nível de motivação atribuído a cada item dessas condições. Como teorias de base, foi utilizado o conceito de motivação intrínseca e extrínseca; o conceito de condições de trabalho descritos por Lick (2003) e a Norma Regulamentadora (NR17), a fim de responder o objetivo da pesquisa: verificar a relação entre condições de trabalho e motivação de trabalhadores do setor operacional de uma empresa da Grande Florianópolis. Esta pesquisa foi classificada como exploratória e descritiva e o delineamento consiste em um estudo de campo. Os dados foram organizados e analisados de forma quantitativa, o instrumento de coleta de dados foi uma escala de avaliação construída pela pesquisadora e orientadora. Esta escala é composta por 22 afirmativas que são avaliadas em dois momentos distintos: 1) quanto às condições de trabalho, cujo nível de mensuração é ordinal, variando entre cinco "carinhas", nas quais duas indicam expressões negativas, uma indiferente e duas expressões positivas; 2) quanto ao nível de motivação atribuído a cada condição de trabalho, cujo nível de motivação é ordinal (0=nada, 1=pouco, 2=nem pouco nem muito, 3=muito). Este instrumento foi aplicado em 23 trabalhadoras que operam máquinas de costura. Para fins de análise, as médias de resposta foram classificadas da seguinte forma: para as condições de trabalho médias entre 1 - 2,5 foram consideras como percepção negativa da condição de trabalho; 2,6 - 3,5 percepção intermediária; 3,6 - 5 : percepção positiva. Para a análise da motivação foram classificadas médias entre 0,1 - 1,0 percebido como pouco importante para a motivação; 1,1 - 2,0 nem pouco nem muito importante; e 2,1 - 3,0 percebido como muito importante. Ao fim deste processo constatou-se que a percepção das condições de trabalho, tanto internas quanto externas, foram consideradas positivas do ponto de vista dos trabalhadores e ainda que a importância desses itens para a sua motivação foi considerado em geral muito importante. Levando em consideração que há dois anos a organização vem realizando mudanças nas condições de trabalho - sem que o número de trabalhadores se modificasse - e o nível de 2 produtividade triplicou nesse processo, pode-se concluir que a avaliação positiva das condições de trabalho, vistas pelos participantes como importante para a motivação, remete a uma relação significativa entre esses dois indicadores no contexto desta pesquisapt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPsicologia - Pedra Branca
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectTrabalho - Aspectos psicológicospt_BR
dc.subjectMotivação no trabalhopt_BR
dc.subjectPromoção da saúde dos empregadospt_BR
dc.titleRelação entre condições de trabalho e motivaçãopt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.isReferencedByMonografia (Curso de Graduação em Psicologia)pt_BR
dc.hasPart101208_Gabriela.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons