Show simple item record

dc.contributor.advisorCosta, Rogério Santos da
dc.contributor.authorCarvalho, Andréia de Simas Cunha
dc.coverage.spatialFlorianópolispt_BR
dc.date.accessioned2017-05-05T13:50:59Z
dc.date.available2017-05-05T13:50:59Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/2034
dc.descriptionThe main objective of this research is to verify the dimension of the Sharing Economy in the Innovation Policies of the European Union, as well as to characterize this phenomenon in face of globalization and frequent economic crises, to identify the interaction between European innovation policies and the Sharing Economy and to observe its relation with the competitive process, with the promotion of development and with the regulation of its practices by the European Union. The theoretical approach of this research started from the principle that the contemporary global transformations form a conjuncture that has been propitiating the development of this disruptive market force. The Sharing Economics is a major economic and social movement that is pushing companies and corporations to recreate or adapt to the era of connectivity and sharing, also known as the Internet of Things, and is strongly influenced by the community aspect of business. The European Union is seeking to help citizens to make full use of their potential, increase labor market participation and stimulate competitiveness, fair work conditions and a minimum level of social protection.pt_BR
dc.description.abstractO objetivo principal desse trabalho é verificar a dimensão da Economia Colaborativa nas Políticas de Inovação da União Europeia, assim como caracterizar esse fenômeno frente à globalização e às frequentes crises econômicas, identificar a interação entre as políticas de inovação europeias e a Economia Colaborativa e observar sua relação com o processo concorrencial, com a promoção do desenvolvimento e com a regulação das suas práticas pela União Europeia. A abordagem teórica dessa pesquisa partiu do princípio que as transformações contemporâneas globais formam uma conjuntura que vem propiciando o desenvolvimento dessa força disruptiva de mercado. A Economia Colaborativa é um grande movimento econômico e social, que está empurrando empresas e corporações a se recriarem ou se adaptarem à era da conectividade e do compartilhamento, conhecida também como a Internet das Coisas, sendo fortemente influenciadas pelo aspecto comunitário dos negócios. A Economia Colaborativa invade mercados até pouco tempo ocupados por prestadores de serviços tradicionais, muitas vezes também proporcionam aos consumidores o preenchimento de novos papeis e tarefas normalmente não executados anteriormente. A partir de uma metodologia predominantemente qualitativa combinada com um estudo bibliométrico que delimitou a área do estudo a fim de se fazer uma varredura bibliográfica do tema, foi percebido que na União Europeia, esse fenômeno começou a ser abordado de forma institucional dentro das Políticas de Inovação, chegando atualmente a Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu. A União Europeia tem buscado ajudar os cidadãos a fazer pleno uso do seu potencial, aumentar a participação no mercado de trabalho e estimular a competitividade, assegurando, ao mesmo tempo, condições de trabalho equitativas e um nível mínimo de proteção social.pt_BR
dc.format.extent84 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofRelações Internacionais  - Florianópolispt_BR
dc.subjectEconomia colaborativapt_BR
dc.subjectInovaçãopt_BR
dc.subjectUnião Européiapt_BR
dc.subjectCapitalismopt_BR
dc.subject.otherInovaçãopt_BR
dc.subject.otherCapitalismopt_BR
dc.titleA economia colaborativa no contexto das políticas para inovação da União Europeiapt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons