Show simple item record

dc.contributor.advisorDaltoé, Andréia da Silva
dc.contributor.authorMonteiro, João Antolino
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2017-05-05T18:14:12Z
dc.date.available2017-05-05T18:14:12Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/2046
dc.descriptionA solitarity-based economy rises as an organization that has as its foundation the self-management, the cooperation and the solidariety in the productive process, seeking to put the man in the center of the process in order to enhance work as a way of life, as productive and creative capacity of man. However, even showing as inclusion opportunity, the solidarity-based economy moviment faces resistance from its members to adhere to principles of solidarity economy. In this perspective, it will be tried to investigate, based on the french approach of discourse analysis, how do the iniciatives of solidarity economy happens inside the capitalist system as the resistance moviment of workers excluded from the productive processs and how or if the solidarity economy will be able to break with the capitalism’s individualist speech while establishing a discourse based on solidarity in opposition. To observe the construction of the discourse about solidarity-based economy, it’s elected as corpus analysis cutouts of the following materials: final document of the first National Conference on Solidarity Economy, booklets formation in solidarity economy produced by Caritas and interviews with members of the solidarity economy enterprises of Amurel region.pt_BR
dc.description.abstractA economia solidária surge como uma organização que tem como fundamento a autogestão, a cooperação e a solidariedade no processo produtivo, buscando colocar o homem no centro desse processo a fim de valorizar o seu trabalho enquanto forma de vida, capacidade produtiva e criativa. Porém, mesmo apresentando-se como oportunidade de inclusão, o movimento da economia solidária enfrenta resistências por parte dos seus membros em aderirem aos seus preceitos. Tendo em vista essa perspectiva, procuramos investigar, com base na Análise do Discurso de linha francesa, como acontecem as iniciativas de economia solidária no interior do sistema capitalista, enquanto movimento de resistência dos trabalhadores excluídos do processo produtivo, e se a economia solidária consegue romper com o discurso individualista do capitalismo ao instituir um discurso baseado na solidariedade como contraposição. Para observar a construção do discurso sobre a economia solidária, elegemos como corpus de análise recortes dos seguintes materias: documento final da primeira Conferência Nacional de Economia Solidária, cartilhas de formação em economia solidária produzidas pela Cáritas e entrevistas com membros dos empreendimentos de economia solidária da região da AMUREL.pt_BR
dc.format.extent103 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPrograma de Pós-Graduação em Ciências da Linguagempt_BR
dc.subjectAutogestãopt_BR
dc.subject.otherEconomia solidáriapt_BR
dc.subject.otherCapitalismopt_BR
dc.subject.otherTrabalhopt_BR
dc.subject.otherAdministração - Participação dos empregadospt_BR
dc.titleO discurso da economia solidária no contexto capitalista: desafios e contradiçõespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.areaLinguística, Letras e Artespt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons