Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorJuliano, Dilma Beatriz Rocha
dc.contributor.authorHoullou, Jean Raphael Zimmermann
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2017-05-09T12:52:32Z
dc.date.available2017-05-09T12:52:32Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/2063
dc.descriptionThis thesis aims a critical reading of two American series also aired in Brazil: Star Trek and Heroes. The survey proposes to observe dissensus from the multitude present on both TV series. The multitude (HARDT; NEGRI, 2000) is a social force capable of challenging the sovereign power and to establish new forms of social organization, their presence may present dissensus (RANCIÈRE, 2010), new elements to what is conventionally considered and sense, the sensitive system already established. This movement is associated with materialistic conception of history that suggests seeking tensions against the dominant social order (BENJAMIN, 1987). The Star Trek series debuted in 1966 and its last episode was broadcast in 1969. The series was produced by Desilu Productions and broadcast by NBC, and your transmission took place at a time when American foreign policy has to tend less to an imperialist activity than to a policing action to a supranational order service. The hypothesis is that his narrative shows the will of the multitude to prevent the exercise of the former European sovereignty and to overcome the nationalist struggles. The Heroes series was produced in partnership by Tailwind Productions, NBC, Universal Television and Universal Media Studios. Four seasons were exhibited from 2006 to 2009. The series covers the history of characters who, because of genetic mutations, discover powers that make them special. Although they appear in different parts of the world, there is some force that, in many ways, remains interconnection between the characters. The hypothesis is that the special abilities of Heroes characters may be attached to faculties of the multitude able to oppose the order of global capitalism. The overall objective of this research is, as stated initially, to look for dissensus from multitude inside the series. It is possible to see that these cultural objects do not carry a single system of presentation attached to commercial logic, but let see, within their respective contexts of production, transformative capacities against the established order. It can be said that the tensions in the series denote trouble for tradition defended by the dominator, presenting challenging ways to read the story doing justice to the dominated.pt_BR
dc.description.abstractA presente tese pretende uma leitura crítica de dois seriados norte-americanos, também veiculados no Brasil: Star Trek e Heroes. O exame propõe observar dissensos da multidão presentes em ambos os seriados de TV. A multidão (HARDT; NEGRI, 2000) é como uma força social capaz de desafiar o poder soberano e instituir novas formas de organização social; sua presença pode apresentar dissensos (RANCIÈRE, 2010), ou seja, novos elementos para aquilo que convencionalmente é considerado e sentido, o regime do sensível já estabelecido. Esse movimento se associa a concepção de história materialista que sugere a procura de tensões contra a ordem social dominante (BENJAMIN, 1987). O seriado Star Trek estreou em 1966 e seu último episódio foi transmitido em 1969. A série foi produzida pela Desilu Productions e exibida pela NBC, e sua transmissão se deu num momento em que a política externa americana passou a tender menos para uma atividade imperialista do que para uma ação de policiamento a serviço de uma ordem supranacional. A hipótese é a de que sua narrativa apresenta a vontade da multidão em impedir o exercício da antiga soberania europeia e em superar as lutas nacionalistas. O seriado Heroes foi produzido em parceria pela Tailwind Productions, NBC,Universal Television e Universal Media Studios. Foram exibidas quatro temporadas de 2006 a 2009. A série aborda a história de personagens que, em razão de mutações genéticas, se descobrem portadores de poderes que os tornam especiais. Embora apareçam em diferentes partes do mundo, existe alguma força que, de variadas formas, mantém os personagens interconectados. A hipótese em Heroes é a de que as habilidades especiais dos personagens podem ser associadas às faculdades da multidão capazes de se opor à ordem do capitalismo global. O objetivo geral desta pesquisa consiste, como afirmado inicialmente, em averiguar dissensos da multidão dentro dos seriados. É possível observar que estes objetos da cultura não carregam um regime único de apresentação ligado à lógica mercantil, mas permitem constatar, dentro de seus respectivos contextos de produção, capacidades transformadoras contra a ordem constituída. Pode-se afirmar que as tensões observadas nos seriados denotam problemas para a tradição defendida pelo dominador apresentando formas desafiadoras à leitura da história e fazendo justiça aos dominados.pt_BR
dc.format.extent265 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofDoutorado Ciência da Linguagem Florianópolis - Tubarãopt_BR
dc.subjectMultidãopt_BR
dc.subjectDissensospt_BR
dc.subjectHeroespt_BR
dc.subjectStar Trekpt_BR
dc.subject.otherBem-estar socialpt_BR
dc.subject.otherPolítica socialpt_BR
dc.titleA multidão nos seriados Star Trek e Heroes: dissensos do imperialismo ao impériopt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.subject.areaLinguística, Letras e Artespt_BR


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons