Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorTraebert, Jefferson Luiz
dc.contributor.authorNunes, Rodrigo Dias
dc.coverage.spatialRepositório Institucional Unisulpt_BR
dc.date.accessioned2017-08-23T17:03:50Z
dc.date.available2017-08-23T17:03:50Z
dc.date.issued2017
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/2753
dc.descriptionBackground: The vaginal exam is the main choice for monitoring labor, and may be associated to complications when performed excessively. The purple line has been described as an alternative method for this follow-up. Objective: To determine if the purple line can be used to estimate the progression of labor. Method: This is a prospective cohort study associated with analysis of accuracy, involving 220 patients, from August 2016 to May 2017. The patients were submitted to the observation and measurement of the purple line at the time of the vaginal exam. The associations between population characteristics and the appearance of the purple line in the sacral region, with significance level p <0.05, were studied through Poisson regression. The presence of the purple line was evaluated in relation to the evolution of labor. Pearson's correlation analysis and accuracy tests were performed between the measurements of the purple line and the cervical dilatation and the height of the fetal presentation. Results: There were 708 evaluations of the line, being present in 490 opportunities, among 189 patients, with incidence of 85.91% (CI 95% 81.30; 90.52). The purple line showed a 1.12 times higher incidence (CI 95% 1.02; 1.23) in white women (p=0.023), and 1.15 times higher (1.01; 1.32) in patients with premature rupture of membranes (p=0.042). The presence of the purple line increased 1.85 times (CI 95% 1.29; 2.67) the incidence of vaginal delivery (p < 0.001). There was positive correlation between line size and cervical dilation (r=0,893) and fetal height (r=0,681), with mean diagnostic accuracy of 23.05% and 8.21%, respectively. Conclusions: The purple line had a higher incidence in white women and in those with premature rupture of membranes, besides that, its presence increased the incidence of an adequate evolution of labor. The line presented a positive correlation with the parameters of labor progression, but it could not be used, routinely, to replace the vaginal exam, due to its low accuracy.pt_BR
dc.description.abstractIntrodução: O toque vaginal é o exame de eleição para acompanhamento do trabalho de parto, podendo estar associado a complicações, quando realizado excessivamente. A linha púrpura tem sido descrita com método alternativo para este acompanhamento. Objetivo: Determinar se a linha púrpura pode ser utilizada para estimar a progressão do trabalho de parto. Método: Trata-se de um estudo de coorte prospectivo associado a estudo de acurácia, envolvendo 220 parturientes, no período de agosto/2016 a maio/2017. As pacientes foram submetidas à observação e medida da linha púrpura, no momento da realização do toque vaginal. Estudou-se as associações entre características populacionais e o aparecimento da linha púrpura na região sacral, com nível de significância p < 0,05, por meio de regressão de Poisson. A presença da linha púrpura foi avaliada quanto à evolução do trabalho de parto. Foram realizados análises de correlação de Pearson e testes de acurácia entre as medidas da linha púrpura e a dilatação cervical e a altura da apresentação fetal. Resultados: Foram realizadas 708 avaliações da linha, estando presente em 490 oportunidades, em 189 parturientes, com incidência de 85,91% (IC 95% 81,30; 90,52). A linha púrpura apresentou incidência 1,12 vezes maior (IC 95% 1,02; 1,23) nas mulheres brancas (p=0,023), e 1,15 vezes maior (1,01-1,32) nas pacientes com rotura prematura de membranas (p=0,042). A presença da linha púrpura aumentou 1,85 vezes (IC 95% 1,29; 2,67) a incidência do parto vaginal (p < 0,001). Houve correlação positiva entre o tamanho da linha e a dilatação cervical (r=0,893) e a altura da apresentação fetal (r=0,681), com acurácias diagnósticas médias de 23,05% e 8,21%, respectivamente. Conclusões: A linha púrpura apresentou maior incidência em mulheres brancas e naquelas com rotura prematura de membranas, além disso, sua presença aumentou a incidência de evolução adequada do trabalho de parto. A linha apresentou correlação com os parâmetros de evolução do trabalho de parto, porém não pode ser usada, rotineiramente, em substituição do toque vaginal, pela sua baixa acurácia.pt_BR
dc.format.extent106 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPós-Graduação em Ciência da Saúdept_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectTrabalho de partopt_BR
dc.subjectDilatação cervicalpt_BR
dc.subjectApresentação fetalpt_BR
dc.subjectDiagnósticopt_BR
dc.titleUtilização da linha púrpura como método diagnóstico da dilatação cervical e altura da apresentação fetal em gestantes em trabalho de partopt_BR
dc.title.alternativeThe use of the purple line to diagnose cervical dilatation and fetal presentation among women during laborpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Exceto quando indicado o contrário, a licença deste item é descrito como Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons