Show simple item record

dc.contributor.advisorLopes, Ana Maria Pereira
dc.contributor.authorNogueira, Nayra Luanna
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2017-10-09T19:23:28Z
dc.date.available2017-10-09T19:23:28Z
dc.date.issued2013
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/3061
dc.description.abstractA pessoa diagnosticada esquizofrênica, geralmente, encontra-se excluída da vida profissional, pois é estigmatizada como incapaz. Este estudo objetiva identificar a percepção de psicólogos que atuam no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) em relação ao trabalho como um veículo de reabilitação psicossocial voltado ao usuário diagnosticado esquizofrênico, bem como busca compreender a realidade das atividades realizadas junto aos usuários considerados esquizofrênicos. Intenciona também identificar a relevância do trabalho na formação da identidade, além de averiguar o modo como o trabalho reabilita psicossocialmente o usuário diagnosticado esquizofrênico. A pesquisa, de caráter exploratório e de natureza qualitativa, foi realizada por meio de entrevista semiestrutura junto a dois psicólogos atuantes em CAPS localizados em uma região catarinense. Após o procedimento de transcrição das entrevistas, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin, então, foram realizadas leituras correspondentes às informações e após a formulação das categorias, estas foram discutidas e interpretadas de acordo com a fundamentação teórica dos conceitos indispensáveis a esta pesquisa. Como resultado, pode ser verificado que os psicólogos realizam terapias individuais e coletivas junto aos usuários considerados esquizofrênicos e elaboram estratégias em prol da organização deles. Para esses profissionais, a identidade é formada pela interação do mundo íntimo do ser humano com os objetos, experiências e com outras pessoas do seu contexto socioeconômico e político cultural. O trabalho mobiliza a identidade do usuário diagnosticado esquizofrênico para que ela se mantenha ou para que seja modificada. Diante desta pesquisa, percebe-se que os usuários diagnosticados esquizofrênicos exercem trabalhos formal e informal, embora o capitalismo impeça a reinserção profissional do modo menos alienante possível.pt_BR
dc.format.extent54 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPsicologia - Pedra Brancapt_BR
dc.subjectEsquizofreniapt_BR
dc.subjectTrabalhopt_BR
dc.subjectReabilitação psicossocialpt_BR
dc.titleA percepção de psicólogos de CAPS acerca do trabalho como um veículo de reabilitação psicossocial do usuário diagnosticado esquizofrênicopt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons