Show simple item record

dc.contributor.advisorBartilotti, Carolina Bunn
dc.contributor.authorRosa, Michele Rovaris Henrique da
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2017-10-09T19:23:33Z
dc.date.available2017-10-09T19:23:33Z
dc.date.issued2013
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/3062
dc.description.abstractO Bem-estar no Trabalho, num mercado tão competitivo, é com certeza na atualidade, um diferencial que atrai e retém os colaboradores. Entretanto, existem ocupações e profissões que parecem ser trabalhos tão penosos e, por isso impossível de sentir bem-estar no trabalho. No intuito de compreender essa possibilidade, buscou-se estudar a ocupação dos agentes funerários com o objetivo de caracterizar os fatores que contribuem para o bem-estar no trabalho dessa categoria de trabalhadores. Para tanto, investigou-se a satisfação no trabalho; o envolvimento no trabalho e o comprometimento organizacional afetivo. A presente pesquisa se configurou como descritiva, seu delineamento como estudo de caso, de natureza qualitativa e corte transversal. Para concluir tal estudo, foram entrevistados seis agentes funerários, indicados por três empresas funerárias localizadas no município de Palhoça/SC. O instrumento de coleta de dados consistiu em uma entrevista semi-estruturada com seis perguntas de identificação e 24 perguntas específicas ao cargo e a relação dos sujeitos com as tarefas; todas as entrevistas foram realizadas nos locais de trabalho dos participantes. Os dados coletados foram organizados em categorias e subcategorias de forma que pudesse responder aos objetivos desta pesquisa. Observou-se a partir dos resultados que os fatores que contribuem para o bem-estar no trabalho em relação à satisfação no trabalho são: o salário, as relações no ambiente organizacional, as oportunidades de promoção, o próprio trabalho e gostar do trabalho que faz; em relação ao envolvimento no trabalho os fatores encontrados foram: as variáveis do sujeito, dificuldades do cargo, naturalidade da tarefa, características do chefe, apoio da família e percepção social; e em relação ao comprometimento organizacional afetivo, os fatores são: a importância do trabalho para os agentes funerários, a importância do trabalho para as famílias atendidas, a importância do trabalho do agente funerário para a sociedade e o desejo de permanecer na organização. Os fatores encontrados oscilam entre os polos negativo e positivo, porém, o polo positivo foi observado em maior grau o que aponta a existência do bem-estar no trabalho. Entende-se que embora o trabalho dos agentes funerários apresente dificuldades e aspectos negativos, o bem-estar no trabalho está presente e é possível.pt_BR
dc.format.extent44 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPsicologia - Pedra Brancapt_BR
dc.subjectBem- estar no trabalhopt_BR
dc.subjectAgentes funeráriospt_BR
dc.titleBem-estar no trabalho com a morte: uma relação possível? relatos de agentes funerários do município de Palhoçapt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons