Show simple item record

dc.contributor.advisorNatividade, Michelle Regina da
dc.contributor.authorLopes, Flávia Bez
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2017-10-23T17:46:27Z
dc.date.available2017-10-23T17:46:27Z
dc.date.issued2009
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/3279
dc.description.abstractEsta pesquisa buscou relacionar as discussões sobre as mulheres no mercado de trabalho e a questão do absenteísmo decorrente da maternidade. Sendo os supervisores de equipe aqueles que lidam diretamente com os trabalhadores, esta pesquisa teve como principal objetivo analisar a percepção de supervisores de equipe com relação ao absenteísmo decorrente da maternidade. Esta pesquisa está relacionada ao Programa Gestão de Pessoas, do Núcleo Orientado do Trabalho, caracteriza-se como qualitativa, exploratória e possui como delineamento, estudo de caso. Para que os objetivos fossem alcançados, o instrumento de coleta de dados utilizado foi a entrevista semi-estruturada, aplicado em quatro supervisores de equipe que atuam em diferentes áreas organizacionais da grande Florianópolis. De acordo com a análise de conteúdo realizada, foram criadas categorias a posteriori, representadas pelas falas dos entrevistados e, posteriormente, as categorias foram analisadas com base no referencial teórico da pesquisa. Foi possível identificar que algumas organizações não realizam o levantamento do índice de absenteísmo e aquelas que o realizam não repassam os resultados aos supervisores de equipe. Os supervisores consideram que a falta de uma trabalhadora decorrente da maternidade não interfere no relacionamento entre a equipe. Percebeu-se também que os supervisores de equipe valorizam a família e apóiam as trabalhadoras no sentido dessas oferecerem cuidados aos seus filhos. Os supervisores de equipe possuem algumas estratégias para suprir a falta das trabalhadoras que precisam se ausentar do trabalho em decorrência da maternidade, agindo muitas vezes de acordo com a cultura organizacional. Outro resultado encontrado foi que os supervisores de equipe não diferenciam as atividades das trabalhadoras que possuem filhos para as trabalhadoras que não possuem. Diante de tais afirmações conclui-se que o profissional da psicologia poderia estar atuando juntamente com os supervisores de equipe, no sentido de auxiliar a relação trabalhadora-maternidade, ajudando a minimizar os efeitos que o absenteísmo pode acarretar tanto para a organização quanto para as próprias trabalhadoras e assim, promover a qualidade de vida no trabalho.pt_BR
dc.format.extent70 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPsicologia - Pedra Brancapt_BR
dc.subjectMulheres no mercado de trabalhopt_BR
dc.subjectMaternidadept_BR
dc.subjectAbsenteísmopt_BR
dc.subjectPsicologia Organizacionalpt_BR
dc.titleDa carreira à troca de fraldas: considerações sobre o absenteísmo decorrente da maternidadept_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons