Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Rosemeri Maurici da
dc.contributor.authorCoelho, Viviane Ivani Martins
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2017-10-23T20:16:07Z
dc.date.available2017-10-23T20:16:07Z
dc.date.issued2012
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/3590
dc.descriptionVentilator-associated pneumonia (VAP) is an infection that most commonly affects critical patients admitted to the intensive care unit (ICU), resulting in significant morbidity and mortality rates. Objective: To assess nurses’ knowledge regarding the prevention of ventilator-associated pneumonia. Methods: A cross-sectional study was conducted on all nurses working at the ICU of the Polydoro Ernani de São ThiagoUniversity Hospital in Florianopolis between July 1st and August 30, 2012. A questionnaire was administered to 55 professionals, using a Likert scale (inadequate, satisfactory, good and excellent), which served as an evaluation parameter. Results: Nurses’ knowledge level regarding the prevention of ventilator-associated pneumonia was good (69.1%) or satisfactory (30.9%). Those who hold a college degree achieved better results (p = 0.04). No statistically significant association was found regarding working shift, postgraduate studies, gender, length of time working at the ICU, time elapsed since graduation, participation in training courses and age. Good results were observed on the following variables: hand antisepsis (58.2%), glove wearing (72.7%), semi-recumbent position (60.0%), aspiration of secretions (63.6%), ventilator circuits (52 7%), epidemiological surveillance (52.7%) and staff training (83.6%).Nurses’ knowledge regarding the aspiration system was considered good (56.4%). Fair results were observed on the following variables: oral hygiene (74.5%), humidifier filter (89.1%), nebulizer (65.5%), wall humidifier(45.5%) and non-invasive ventilation (47.3%). The poorest results were observed on these variables: enteral nutrition (94.5%), cuff pressure (63.6%) and tracheostomy (65.5%), whichwas considered unsatisfactory. The majority (60.0%) of the nurses reported that they had not received any guidance on VAP prevention. Conclusion: We concluded that the nurses’ knowledge was good or satisfactory on most aspects. Greater investment in educational programs should be made to promote behavior change and awareness of ICU staff towards VAP problems.pt_BR
dc.description.abstractA pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM) é a infecção que mais acomete os pacientes críticos internados na unidade de terapia intensiva (UTI), resultando em taxas significativas de morbimortalidade. Objetivo: avaliar o conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre a prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica. Método: foi realizado um estudo transversal entre 1º de julho e 30 de agosto de 2012, com todos os profissionais de enfermagem na unidade de terapia intensiva do Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago na cidade de Florianópolis. Aplicou-se um questionário a 55 profissionais, utilizando a escala de conceitos de Likert (insuficiente, satisfatório, bom e excelente), que serviu de parâmetro e referência para avaliação. Resultados: o grau de conhecimento dos profissionais de enfermagem de acordo com o conceito final foi bom (69,1%) e satisfatório (30,9%). Com relação à categoria profissional, os profissionais de nível superior alcançaram resultados melhores (p = 0,04). No que se refere ao turno de trabalho, pós-graduação, sexo, tempo de trabalho na UTI, tempo de formação, participação em capacitações e idade, não foi observada associação estatisticamente significativa. Observou-se que nas variáveis antissepsia das mãos (58,2%), uso de luvas (72,7%), posição semirrecumbente (60,0%), aspiração de secreções (63,6%), circuitos ventilatórios (52,7%), vigilância epidemiológica (52,7%) e treinamento da equipe (83,6%) obtiveram melhores resultados. O conhecimento sobre o sistema de aspiração foi considerado bom (56,4%). Obtiveram conceito satisfatório as variáveis higiene oral (74,5%), filtro umidificador (89,1%), nebulizadores (65,5%), umidificadores de parede (45,5%) e ventilação não-invasiva (47,3%). Os piores conceitos foram observados nas variáveis nutrição enteral (94,5%), pressão do cuff (63,6%) e traqueostomia (65,5%), sendo considerados insuficientes. Com relação em receber orientação sobre a prevenção da PAVM, a maioria (60,0%) afirmou não receber. Conclusão: concluímos que o conhecimento foi bom e satisfatório, e há necessidade de maiores investimentos em programas educacionais, que promovam a mudança de comportamento e de atitude, a fim de despertar os profissionais da UTI para a problemática da PAVM.pt_BR
dc.format.extent94 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPrograma de Pós-Graduação em Ciência da Saúdept_BR
dc.subjectConhecimentopt_BR
dc.subjectPrevençãopt_BR
dc.subjectPneumoniapt_BR
dc.subjectVentilação mecânicapt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.titleConhecimento dos profissionais de enfermagem sobre a prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica na unidade de terapia intensivapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons