Show simple item record

dc.contributor.advisorDias, Taisapt_BR
dc.contributor.authorBastiani, Scheine Neis Alves da Cruz dept_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T14:51:41Z
dc.date.available2016-11-30T14:51:41Z
dc.date.issued2014
dc.identifier1857pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/437
dc.description.abstractEsta dissertação se reconhece como um levantamento descritivo-interpretativista desenvolvido a partir da análise da taxonomia da relação universidade-empresa proposta por Bonaccorsi e Piccaluga (1994). Esta pesquisa, que se caracterizou como predominantemente qualitativa, foi guiada pelo pressuposto de que as relações universidade-empresa podem ser empregadas para a geração de inovação como estratégia em organizações não mercado. Para cumprir esse objetivo, relacionou-se o perfil acadêmico, profissional e da organização campo de pesquisa dos egressos de Mestrados Profissionais em Administração Pública, que delimitaram como campo de estudo de suas dissertações as organizações em que atuavam profissionalmente. Em seguida, investigou-se a aderência da taxonomia de Bonaccorsi e Picaaluga (1994) às organizações não mercado, aplicando-a a amostra delimitada, para, então, identificar os limites e possibilidade da mesma quando empregada especificadamente em organizações públicas. Para então, finalmente, ensaiar contribuições no sentido de torná-la aplicável a esse tipo de organizações. Desenvolvida com base na existência de três diferentes formas organizacionais: de mercado, públicas e associativas (FRANÇA-FILHO, 2004), buscando a compreensão de que a estratégia de inovação não gira somente em torno daquelas que almejam o lucro (organizações de mercado), mas também está presente na realidade das demais (organização não mercado ¿ públicas e associativas), em que os objetivos estão voltados às necessidades fundamentais da sociedade. Logo, reconhecendo que para inovar uma ferramenta possível envolve-se o estabelecimento de relações com as Instituições de Ensino Superior, as quais desenvolvem pesquisas a partir dos conhecimentos teóricos advindos das salas de aula e podem ajudar no aperfeiçoamento de produtos, processos, serviços, comunicação e gestão das organizações. Sua operacionalização se deu por meio de questionário, estruturado em três blocos de questões, respondido pelos egressos de Mestrados Profissionais em Administração Pública que obtiveram conceito 4 ou superior no triênio 2010-2013 de avaliação da CAPES, abrangendo programas da UDESC, FGV/RJ, UnB e UFBA. Os dados coletados passaram por análise através da comparação da teoria e da prática, entendendo que cada um dos tipos de relação universidade-empresa delimitados na taxonomia de Bonaccorsi e Piccaluga (1994) constitui-se como uma categoria de análise. Os resultados apontam que essa taxonomia pode ser aplicada às organizações públicas, já que todos os casos analisados conseguiram se enquadrar em pelo menos uma de suas categorias. Porém, para ser devidamente aplicada a esse tipo de organização, necessita de algumas adequações, principalmente no que tange às terminologias empregadas, como é o caso o termo ¿empresa¿, denotando um foco apenas às organizações de mercado, o que não se pode observar na realidade, já que as organizações públicas também necessitam de inovação, para poder com exigência satisfazer a dignidade dos cidadãos. A pesquisa reconhece que todo esse passeio pela teoria permitiu, senão o aprimoramento, a abertura de um espaço para desenvolvimentos posteriores do conhecimento. Vale esclarecer que a pergunta de pesquisa foi devidamente respondida, verificando como a taxonomia analisada se comportou no contexto de organizações públicas, ou seja, que pode ser empregada, mas que necessita de ajustes para ficar mais perto do sucesso completo, porém tendo em mente a necessidade perene de construções e reconstruçõespt_BR
dc.description.abstractThis paper is described as an interpretative descriptive research developed from the analysis of the taxonomy university-company relation, proposed by Bonaccorsi and Piccaluga (1994). This research, which characterized predominantly qualitative, was guided by the assumption that the relations university- company can be applied to create innovation as strategy in non-market organizations. To accomplish this goal, some profiles were related: the academic, the professional, and the organization which was field of research on the graduates of Professional Master in Public Management, which delimit the field of study of their essays as the organizations where they acted professionally. Later, the approval of the taxonomy of Bonaccorsi and Picaaluga (1994) to the non Market organizations was investigated, applying it to the delimited sample, so that it was possible to identify the limits and possibilities of it when applied specifically to the public organizations. And then, finally, it would be possible to experiment contributions in a way we could make them applicable to this kind of organization. It was developed based on the existence of three different forms of organizations: market, public and associations (FRANÇA-FILHO, 2004), aiming to understand that innovation strategies do not exist only around those who target profit (Market organizations), but it is also present in the reality of others (non Market organizations ¿ public and associations), where the targets are the fundamental needs of society. So, taking for granted that for innovating a possible tool is involving the establishment of relationships with Colleges and Universities, because these are the ones that develop research from theoretical knowledge that come from classrooms. This can help improve products, processes, services, communication and organization management. It was done through a questionnaire, with questions divided in thee, which was answered by the graduates of Professional Master in Public Management. The CAPES evaluation this group had obtained in the period between 2010-2013 scores 4 upper, comprehending UDESC, FGV/RJ, UnB and UFBA Mastering Programs. The data collected went under analysis through the comparison of theory and practice, as we understand that every type of relation between university-company delimited on the taxonomy of Bonaccorsi and Piccaluga (1994) is like a category for analysis. The results show that this taxonomy can be applied to public organizations, since all cases studied can fit at least one of its categories. However, to be applied accordingly to this kind of organization, it needs some arrangements, especially regarding the terminology applied, as it is with the word ¿company¿, which means only a Market organization, and this is not what is really seen actually, since public organizations also need innovations to fulfill the needs of citizens. This research understands that this entire trip throughout theory let us not only improve, but also open new space for aftermost development of knowledge. It is also worth making it clear that the main question of the research was answered, and we could check that the taxonomy analyzed behaved in the context of public organizations. It means it can be applied, but it needs arrangements to be closer to the complete success, but we have to keep in mind the need of continuous construction and reconstructionen
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectDesenvolvimento organizacionalpt_BR
dc.subjectEstratégiapt_BR
dc.subjectPlanejamento empresarialpt_BR
dc.subjectInovações educacionaispt_BR
dc.titleA inovação como estratégia em organizações públicaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.isReferencedByDissertação (mestrado)pt_BR
dc.hasPart110390_Scheine.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons