Show simple item record

dc.contributor.advisorDamazio, Lucas Pereira
dc.contributor.authorCardoso, Vitória Rosa
dc.coverage.spatialTubarão, Santa Catarina.pt_BR
dc.date.accessioned2017-12-15T15:56:18Z
dc.date.available2017-12-15T15:56:18Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/4385
dc.descriptionAs quickly as up-to-date information, with technological changes and how to consume products and services, an advertising needs to find differentiated means of communicating with its audience in a way that is not commonly used. Thus, a proposal of research and analysis of a television television of Vivo, called "Living is a better connection", and a communication with its consumers. Is because it is not used two usual features of the piece: a narrator and a dialogue. To do analysis, semiotics from one of the pioneers of the theory, Charles S. Peirce (2005) and other authors as well as studied such as Lucia Santaella (1983-2008), Winfried Nöth (2005) and Lucy Niemeyer (2003). As a result of this project, it was understood that the semiotics can be a great ally of the publicity in the moment of developing materials that aim at persuading the public public. It was possible to discover this statement from the analysis of the advertisement that showed that Vivo, with different semiotic signs, found a way to transmit a desired message - encourage its audience to live the digital medium and the real world simultaneously - usual.pt_BR
dc.description.abstractCom a rapidez que as informações surgem atualmente, com as mudanças tecnológicas e na forma de consumir produtos e serviços, a publicidade precisa encontrar meios diferenciados de se comunicar com seu público de uma forma que não seja comumente utilizada. Assim, a proposta desta pesquisa é analisar um comercial de televisão da Vivo, chamado “Viver é a melhor conexão”, e compreender como ele se comunica com seus consumidores. Isso porque não utiliza dois recursos usuais dessa peça: um narrador e um diálogo. Para realizar tal análise, utiliza-se a semiótica a partir de um dos pioneiros da teoria, Charles S. Peirce (2005) e outros autores que também a estudaram, como Lucia Santaella (1983 - 2008), Winfried Nöth (2005) e Lucy Niemeyer (2003). Como resultado deste projeto, compreendeu-se que a semiótica pode ser uma grande aliada da publicidade no momento de desenvolver materiais que objetivam persuadir o público alvo. Foi possível descobrir tal afirmação a partir da análise da peça publicitária que demonstrou que a Vivo, com diferentes signos semióticos, encontrou uma forma de transmitir a mensagem desejada – incentivar seu público a viver o meio digital e o real simultaneamente – fugindo dos recursos usuais.pt_BR
dc.format.extent64 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPublicidade e Propaganda - Tubarãopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectSemióticapt_BR
dc.subjectPublicidadept_BR
dc.subjectPropagandapt_BR
dc.subjectVivopt_BR
dc.subjectConexãopt_BR
dc.titleOs recursos utilizados para substituir o narrador e o diálogo: análise semiótica peirceana do comercial da Vivo "Viver é a melhor conexão".pt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons