Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorVugman, Fernando Simão
dc.contributor.authorSantos, Paulo Ricardo dos
dc.coverage.spatialFlorianópolispt_BR
dc.date.accessioned2018-01-17T17:12:30Z
dc.date.available2018-01-17T17:12:30Z
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/4536
dc.descriptionIn this work, it is presented an overview of the villain role in the Brazilian cinema. We search the social aspects of the representations of the crook of Candido (1970) and of the criminal of Rocha (2004), as well as an analysis of the Brazilian rites and rituals that contextualize the experience of these two characters. The research has as objective to contribute for the discussion on the representation of the villain role in the Brazilian cinema, focusing the Amarelo Manga movie, and to verify which are the implications of this representation. The research demonstrates how the villain role is modifying, in compass with the transformations that the Brazilian society has been passing, in the last decades until the current moment. For this, a bibliographical research was done in which it was worked with the notion of crook, of Antonio Candido, and criminal, of João Cezar Castro Rocha. These authors had given support to the discussion on the fictional villain, considering its theoretical basis on the representation of the evil in the Brazilian cinema. From this theoretical survey, it was done an analysis of /Amarelo Manga/ movie from the director Claudio Assis, in which they described scenes of the film and characteristics of the characters, in search of a possible correspondence between the theoretical concepts that characterize the crook and the criminal roles and the represented context. It was perceived that the structure of the plot complicates the characters classification in the meanings of “crook” and “criminal”, especially because the movie does not present a clear division between the worlds of the order and clutter, in the direction given by Roberto Da Matta. What we have, are people who live in the edge of the society and law and that, less than live, survive according to values and beliefs dictated for the necessity of adaptation to the place they livept_BR
dc.description.abstractNeste trabalho, é apresentada uma panorâmica da figura do bandido no cinema brasileiro. Buscou-se, através de pesquisa teórica, investigar os aspectos sociais das representações do malandro de Candido (1970) e do marginal de Rocha (2004); bem como conhecer os ritos e rituais brasileiros que contextualizam a vivência desses dois personagens. A pesquisa teve como objetivo contribuir para a discussão sobre a representação da figura do bandido no cinema brasileiro, em especial no filme Amarelo Manga, e verificar quais as implicações dessa representação. A pesquisa demonstra que a figura do bandido está se modificando, em compasso com as transformações pelas quais têm passado a sociedade brasileira, das últimas décadas até o momento atual. Candido e Rocha dão suporte à discussão sobre o bandido ficcional, considerando seus pressupostos teóricos sobre a representação do mal no cinema brasileiro. A partir desse levantamento teórico, fez-se uma análise do longa-metragem Amarelo Manga, do diretor Cláudio Assis (2003), na qual são descritas cenas do filme e características dos personagens, em busca de uma possível correspondência entre os conceitos teóricos que caracterizam as figuras do malandro e do marginal e o contexto representado. Percebeu-se que a estruturação do enredo complica uma classificação dos personagens dentro das noções de “malandro” e de “marginal”, especialmente porque o filme não apresenta uma divisão tradicional entre os mundos da ordem e desordem, no sentido que lhes dá DaMatta (1990). No enredo, não há mocinhos e bandidos. Os personagens são pessoas que vivem à margem da sociedade e do direito e que, menos do que viver, sobrevivem, segundo valores e crenças ditadas pela necessidade de adaptação ao meiopt_BR
dc.format.extent89 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPrograma de Pós-Graduação em Ciências da Linguagempt_BR
dc.subjectAmarelo Mangapt_BR
dc.subjectMalandropt_BR
dc.subjectMarginalpt_BR
dc.subjectCinema brasileiropt_BR
dc.titleMalandragem, marginalidade e (des)esperança: a (des)ordem em amarelo mangapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.areaLinguística, Letras e Artespt_BR


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons