Show simple item record

dc.contributor.advisorToledo, José Humberto Dias de
dc.contributor.advisorToledo, José Humberto Dias de
dc.contributor.authorLopes, Daniela Montezuma
dc.coverage.spatialFlorianópolispt_BR
dc.date.accessioned2018-02-05T09:16:17Z
dc.date.available2018-02-05T09:16:17Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/4635
dc.descriptionWe have experienced a great rise in the system of non-adherent facades in our country, a practice that has been used for years in the most developed countries, for example in Europe and the United States. Searching for an alternative of innovation in the constructive techniques for the facade cladding until then in Brazil, the system has been implanted initially in the great Brazilian centers, where the search for differentiated aesthetics, energy efficiency and greater longevity with less maintenance are always primordial points. The system is composed of a light metal structure fixed to the structure of the building, where the outer coating is fixed, creating an air chamber between the final coating and a building wall. The article deals with the issue of ventilated facades (not adhered to), explaining their characteristics, comparing their differences with the most commonly used types of facades in Brazil, demonstrating the advantages of using the non-adhered facade system and, finally, demonstrating a practical case of the monitoring of ventilated facade execution in a building under construction in the city of Florianópolis, where there are reported the particularities encountered during the design and execution of the system, such as difficulties encountered in construction and the benefits achieved with this technology.pt_BR
dc.description.abstractVivenciamos uma grande ascensão do sistema de fachadas não aderidas no nosso país, prática que já vem sendo empregada há anos nos países mais desenvolvidos a exemplo da Europa e Estados Unidos. Buscando uma alternativa de inovação nas técnicas construtivas utilizadas para revestimento de fachada até então no Brasil, o sistema vem sendo implantado inicialmente nos grandes centros brasileiros, onde a busca por estética diferenciada, eficiência energética e maior longevidade com menor manutenção são sempre pontos primordiais. O sistema é composto por uma estrutura metálica leve fixada à estrutura da edificação, onde é fixado o revestimento externo, criando uma câmara de ar entre o revestimento final e a parede de vedação da edificação. O artigo aborda o tema de fachadas ventiladas (não aderidas) num geral, explicando suas características, comparando suas diferenças com relação aos tipos de fachadas mais utilizados no Brasil atualmente, demonstrando quais as vantagens da utilização do sistema de fachadas não aderidas e por fim demonstrando um caso prático do acompanhamento de execução de fachada ventilada em um edifício em construção na cidade de Florianópolis, onde são relatadas as particularidades encontradas durante o projeto e a execução do sistema, as dificuldades encontradas na construção e os benefícios alcançados com a tecnologia.pt_BR
dc.format.extent13pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofMBA Gestão de Obras e Projetos - Florianópolispt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectFachadapt_BR
dc.subjectTecnologiapt_BR
dc.subjectEficiência energéticapt_BR
dc.titleO sistema de revestimento de fachadas ventiladas: estudo de caso na cidade de Florianópolispt_BR
dc.title.alternativeThe ventilated facade system: case study in the city of Florianópolispt_BR
dc.typeEstudo de Casopt_BR
dc.subject.areaEngenhariaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons