Show simple item record

dc.contributor.advisorSimão, Márcia Buss
dc.contributor.authorSilva, Isabel Rodrigues da
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2018-06-26T16:45:14Z
dc.date.available2018-06-26T16:45:14Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/4955
dc.descriptionThe present research, at Masters level, aimed to analyze the composition of body dynamics in teaching with babies. The specific objectives that were delimited from the cited subject are: Understanding the corporal demands and dynamic’s specificities during educating actions, as well as to analyze how the teacher’s dynamics and corporal demands are defined by the babies’ physical needs and; gather elements to understand how the emotional-body-care contributes to the teacher’s activity. In order to achieve the spoken objectives, an ethnographic field research was carried out on a group composed by 12 children and two teachers from an public early childhood education institution, which is located in the municipality of São José. Data were generated through observation, written records, audiovisual and photographic recordings, during a four month period, two up to three times a week during the afternoon, and based on authors such as: Cohn (2005), Corsaro (2011), Geertz (1989), Graue e Walsh (2003), Lopes (2004). Bardin’s (2011) and Vala’s (1999) Content Analysis Technique was used for data organization which resulted in four analysis categories: 1) The teacher’s body when attending to singularities in a collective context; 2) The teacher's body that calms and embraces; 3) The teacher's body as a possibility of relationship and; 4) Unhurried relationships versus intense body movement and influence of materials. The theoretical framework used to guide the data analysis was based on studies in the field of Child Anthropology, Childhood Sociology and Childhood Pedagogy. A dialogue with the recent scientific productions on the subject was used for the analyzes, as well as studies from Buss-Simão (2012, 2016), Duarte (2011), Giddens (2005), Foucault (2004, 2010), Le Breton (2006, 2009), Norbert Elias (2011), Sabbag (2017), Schmitt (2008, 2014), Tardif (2001), Tardif e Lessard (2013), Tardos (1992), Teixeira (2007), Tristão (2004), Vigarello (2003) e Wallon (1971, 1975). The analyzes have revealed that the dynamics and body demands for teaching infants are influenced by the infants’ body demands. While responding and embracing the infants’ demands, teachers reveal an intense physical availability that, through relationship, constitutes the babies socially and culturally. The analyzes also showed that the attendance to singularities, which are constant when teaching infants, occupy a great part of the educator’s time, remarked by its intense corporal relations, these encounters are, in turn, intermittent, whereas other babies also seek this relationship. Data also revealed that, in order to meet the babies’ demands, while involved in a temporality imposed by both babies and the institution, which often hasten assisting the infants’ singularities, Educators use intense body movement in order to speed up the assistance, at the same time as they seek to respect the babies’ body and time. Resulting from the agility needed, teachers often do not pay attention to their own body while performing movements, revealing an oversight related to their own physique, which, by the end, generates a physical exhaustion, a body fatigue. The data also reveals that weariness and fatigue, caused by teacher’s self body carelessness, intensifies through the use of inappropriate materials.pt_BR
dc.description.abstractA presente pesquisa, em nível de mestrado, teve como objetivo analisar a composição das dinâmicas corporais na docência com bebês. A partir deste objetivo foram delimitados os objetivos específicos: compreender as especificidades das dinâmicas e demandas corporais nas ações docentes, bem como, analisar como as dinâmicas e as demandas corporais das professoras são demarcadas pelas demandas corporais dos bebês e; reunir elementos para compreender como o cuidado-corpóreo-emocional dá contorno para a ação docente das professoras. A fim de alcançar os objetivos da pesquisa realizou-se uma pesquisa de campo etnográfica em um grupo formado por 12 bebês e duas professoras em uma instituição de Educação Infantil pública do município de São José. Os dados foram gerados por meio da observação e de registros escritos, fotográficos e audiovisuais, durante quatros meses, de duas a três vezes na semana, no período vespertino, embasado em autores como: Cohn (2005), Corsaro (2011), Geertz (1989), Graue e Walsh (2003), Lopes (2004). Para a organização dos dados recorreu-se a Técnica de Análise de Conteúdo de Bardin (2011) e Vala (1999) o que resultou em quatro categorias de análise: 1) O corpo da professora no atendimento às singularidades em um contexto coletivo; 2) O corpo da professora que acalma e acalenta; 3) O corpo da professora como possibilidade de relações e; 4) Relações sem pressa versus movimentação corporal intensa e a influência das materialidades. O referencial teórico a guiar as análises dos dados, teve como base os estudos do campo da Antropologia da Criança, da Sociologia da Infância e da Pedagogia da Infância. Para as análises recorreu-se a um diálogo com as produções científicas recentes sobre a temática bem como os estudos de Buss-Simão (2012, 2016), Duarte (2011), Giddens (2005), Foucault (2004, 2010), Le Breton (2006, 2009), Norbert Elias (2011), Sabbag (2017), Schmitt (2008, 2014), Tardif (2001), Tardif e Lessard (2013), Tardos (1992), Teixeira (2007), Tristão (2004), Vigarello (2003) e Wallon (1971, 1975). As análises revelaram que as dinâmicas e as demandas corporais da docência com bebês são marcadas pelas demandas corporais dos bebês. Ao responder e acolher as demandas dos bebês as professoras revelam uma disponibilidade corporal intensa que, por meio das relações, vão constituindo os bebês social e culturalmente. As análises evidenciaram também que os atendimentos às singularidades, que são constantes na docência com bebês e ocupam grande parte do tempo das professoras, são marcados por intensas relações corporais, essas relações são, por sua vez, intermitentes, pois, outros bebês buscam também por essa relação. Os dados revelam ainda que para dar conta de atender as demandas dos bebês, envolvidas em uma temporalidade imposta tanto pelos bebês como pela própria instituição, que muitas vezes apressa os atendimentos às singularidades dos bebês, as professoras fazem uso de uma movimentação corporal intensa para agilizar os atendimentos, ao mesmo tempo que buscam respeitar o corpo e tempo dos bebês. Por conta dessa agilidade, muitas vezes as professoras não se atentam ao seu próprio corpo, em como realizam os movimentos, revelando um descuido com seu próprio corpo, o que acaba gerando um desgaste físico, um cansaço corporal. Os dados revelam também que esse desgaste e cansaço, ocasionado pelo descuido com seu próprio corpo, é intensificado por meio do uso de materialidades inadequadas.pt_BR
dc.format.extent713pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectEducação infantilpt_BR
dc.subjectDocênciapt_BR
dc.subjectBebêspt_BR
dc.subjectCorpopt_BR
dc.titleAs dinâmicas corporais na docência com bebêspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons