Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Rosemeri Maurici dapt_BR
dc.contributor.authorKoch, Kelser de Souzapt_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T14:53:33Z
dc.date.available2016-11-30T14:53:33Z
dc.date.issued2013
dc.identifier1606pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/515
dc.description.abstractA pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM) é uma infecção respiratória de difícil diagnóstico, caracterizada por manifestações clínicas, laboratoriais e radiológicas. A utilização da monitorização da mecânica respiratória pode fornecer uma variável da funcionalidade pulmonar, auxiliando no diagnóstico precoce desta patologia, bem como servir de marcador prognóstico para óbito e tempo de hospitalização em UTI. Objetivo: avaliar a capacidade preditiva da mecânica respiratória como fator de risco para o desenvolvimento de PAVM, óbito e tempo de permanência em VM e na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição em Tubarão - SC. Método: foi realizada uma coorte prospectiva entre fevereiro e setembro de 2013, envolvendo uma amostra de 120 indivíduos. Para monitorização da mecânica respiratória foram realizadas medidas estáticas da complacência e resistência do sistema respiratório nos modos VCV e PCV no 1o e 5o dia de internação. A gravidade dos pacientes foi quantificada nas primeiras 24 horas pela escala APACHE II. O diagnóstico de PAVM foi realizado conforme os seguintes critérios: hiper ou hipotermia, leucocitose ou leucopenia, escarro purulento, e infiltrado novo ou persistente no exame radiológico do tórax. Foi contabilizado o tempo de permanência em VM e na UTI. Resultados: as associações significativas encontradas para o desenvolvimento da PAVM foram APACHE II acima da média (p=0,016), tempo de VM (p=0,001) e tempo de UTI acima da média (p=0,003), gênero masculino (p=0,004) e piora da resistência do sistema respiratório no modo PCV (p=0,010). Analisando o óbito como desfecho, estiveram associados a idade acima da média (p<0,001), baixo índice de oxigenação no 1o (p=0,003) e 5o dia (p=0,004), baixa complacência do sistema respiratório no modo VCV no 1o dia (p=0,032) e tempo de UTI abaixo da média (p=0,001). Com relação à permanência na UTI e na VM, índices de oxigenação mais altos no 5o dia (p=0,045) foram associados à maior tempo em UTI e baixa complacência ¿ VCV no 5o dia (p=0,038) foi associada com o maior tempo de VM. Conclusão: A piora da resistência do sistema respiratório no modo PCV aponta para a possibilidade de diagnóstico precoce da PAVM, e a baixa complacência do sistema respiratório no modo VCV e baixo índice de oxigenação apresentaram-se como indicadores prognósticos relacionados ao óbito.pt_BR
dc.description.abstractThe ventilator-associated pneumonia (VAP) is a respiratory infection difficult to diagnose, characterized by clinical, laboratory and radiological signs. The use of monitoring respiratory mechanics can provide a variable lung function, aiding in the early diagnosis of this disease, as well as serve as a prognostic marker for death and hospitalization in the ICU. Objective: To evaluate the predictive ability of respiratory mechanics as a risk factor for the development of VAP , mortality and length of stay in the ICU and MV Hospital Nossa Senhora da Conceição in Tubarão - SC. Method: a prospective cohort study was conducted between February and September 2013, involving a sample of 120 individuals. For monitoring of respiratory mechanics were measured static compliance and respiratory resistance in VCV and PCV modes in the first and fifth day of hospitalization. The severity of the patients was measured within 24 hours by APACHE II score. The diagnosis of VAP was performed according to the following criteria: hyper-or hypothermia, leukocytosis or leukopenia, purulent sputum, and new or persistent infiltrate on chest radiography. Was recorded time on MV and ICU. Results: Significant associations found for the development of VAP were above average APACHE II (p = 0,016), duration of mechanical ventilation (p = 0,001) and ICU stay above average (p = 0,003), male gender (p = 0,004) and worsening of respiratory system resistance in PCV mode (p = 0,010). Analyzing death as outcome, were associated with age above average (p < 0,001), low oxygenation index in the first (p = 0,003) and day 5 (p = 0,004), lower respiratory system compliance in the first day so VCV (p = 0,032) and ICU stay below average (p = 0,001). Regarding the ICU and in the VM, oxygenation indices higher on the 5th day (p = 0,045) were associated with longer ICU and low compliance - VCV on the 5th day (p = 0,038) was associated with longer VM. Conclusion: The worsening of respiratory system resistance in PCV mode points to the possibility of early diagnosis of VAP, and low respiratory system compliance in VCV mode and low oxygenation index were found to be prognostic indicators related to death.en
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAparelho respiratório - Doençaspt_BR
dc.subjectPneumoniapt_BR
dc.subjectRespiração artificialpt_BR
dc.subjectPulmões - Doençaspt_BR
dc.titleMecânica respiratória e pneumonia associada a ventilação mecânicapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.isReferencedByDissertação (mestrado)pt_BR
dc.hasPart109322_Kelser.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons