Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorPetronilho, Fabrícia Cardosopt_BR
dc.contributor.authorMichels, Moniquept_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T14:53:34Z
dc.date.available2016-11-30T14:53:34Z
dc.date.issued2014
dc.identifier1612pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/521
dc.description.abstractA sepse e síndrome de disfunção orgânica múltipla representam um problema clínico de alta relevância, principalmente devido a sua grande incidência em pacientes críticos e aos seus altos índices de mortalidade. Apesar de medidas terapêuticas terem sido capazes de diminuir a mortalidade, sabe-se que muitos sobreviventes de sepse não são capazes de retomar suas atividades usuais. A encefalopatia associada à sepse (EAS) é muitas vezes a primeira disfunção orgânica a se manifestar. A presença da EAS está associada a maior mortalidade e pior prognóstico e muitos pacientes apresentam dano cognitivo a médio e longo prazo que pode ser irreversível. Os mecanismos associados estao em torno do aumento de citocinas pró-inflamatórias, alterações na permeabilidade da barreira hematoencefálica (BHE), ativação microglial com a potencializacao da liberação de citocinas e o estresse oxidativo resultando no dano neuronal. Por conseguinte, tais eventos podem ser potencializados através da participação de moléculas que, quando ativadas perpetuam a resposta inflamatória e a quebra da BHE. Sendo assim é possível postular que a molécula CD40 possa estar envolvida nesse processo inflamatório. O objetivo deste estudo foi investigar a interação entre as moléculas CD40-CD40L sob parâmetros neuroinflamatórios e comportamentais em ratos submetidos a modelo de sepse. Ratos Wistar machos foram submetidos à ligação e perfuração cecal (CLP) para indução de sepse. Os animais foram divididos em sham, CLP, CLP + 1ug/kg, 10ug/kg e 100ug/kg de anticorpo antiCD40 administrado por via intracerebroventricular. Foram acompanhados por 10 dias para curva de sobrevivência e testes comportamentais. Em outro experimento, animais foram mortos em 12, 24 e 48 horas após CLP para avaliar expressão de CD40 e CD40L por Western Blotting e 24 horas após para avaliação de dano oxidativo em lipídios (TBARS), dano às proteínas por carbonilação protéica, concentração de nitrito/nitrato (ON), mieloperoxidase (MPO), quebra da barreira hematoencefálica (BHE) e níveis de citocinas. Dados foram avaliados por teste t e análise de variância de uma via e teste post hoc Tukey. Teste de Kaplan-Meier e log-rank foram utilizados para sobrevivência e teste de Man Whitney para análise comportamental todos com significância p<0,05. Os resultados mostram que o tratamento com anti-CD40 não é capaz de interferir na sobrevivência de animais submetidos a sepse, por outro lado, apresentam melhoras na memória e aprendizado. Os resultados também apresentam aumento nos níveis de CD40 e CD40L em hipocampo, mostram que a dose de 100 ug/kg foi mais efetiva na redução da permeabilidade da BHE, níveis de citocinas e MPO. A dose de 10 e 100 ug/kg foram efetivas na diminuição de TBARS e doses de 1 e 10 e 100 ug/kg foram efetivas apenas na redução de ON. Carbonil não mostrou resultado significativo em nenhuma dose. Conclui-se que o tratamento com anti-CD40 é eficaz na redução de dano cognitivo e parâmetros inflamatórios em sobreviventes de sepse.pt_BR
dc.description.abstractSepsis and multiple organ dysfunction syndrome represent a clinical problem of high relevance, mainly due to its high incidence in critically ill patients and their high mortality rates. Although therapeutic measures have been able to reduce the mortality, it is known that many survivors of sepsis are not able to resume their usual activities. Encephalopathy associated with sepsis (EAS) is often the first organ dysfunction to manifest. The presence of the EAS is associated with higher mortality and worse prognosis, many patients have cognitive impairment in the medium and long term that may be irreversible. Associated mechanisms station around the increase of proinflammatory cytokines, changes in the permeability of the blood brain barrier (BBB), microglial activation with potentiation of the release of cytokines and oxidative stress resulting in neuronal damage. Therefore, such events can be leveraged through the participation of molecules that when activated perpetuate the inflammatory response and breakdown of the BBB. Thus it is possible to postulate that the CD40 molecule may be involved in the inflammatory process. The aim of this study was to investigate the interaction between the CD40 - CD40L molecules in neuroinflammatory and behavioral parameters in rats submitted to sepsis model. Male Wistar rats were subjected to cecal ligation and puncture (CLP) to induce sepsis. The animals were divided into sham, CLP, CLP + 1ug/kg, 10ug/kg and 100ug/kg antibody anti-CD40 administered by intracerebroventricular route. Were followed for 10 days for survival curve and behavioral testing. In another experiment, the animals were killed at 12, 24 and 48 hours after CLP to evaluate expression of CD40 and CD40L by Western blotting, 24 hours for assessment of oxidative damage to lipids (TBARS), damage to proteins by protein carbonylation, concentration of nitrite/nitrate (NO), myeloperoxidase (MPO), breakdown of the blood brain barrier (BBB) and cytokine levels. Data were analyzed by t test and analysis of variance and Tukey post hoc test. Kaplan-Meier and log-rank test were used for survival and Man Whitney test for behavioral analysis with all significant at p< 0.05. The results show that treatment with anti-CD40 antibody is not able to affect the survival of animals with sepsis, on the other hand, show improvements in learning and memory. The results also showed increased levels of CD40 and CD40L in the hippocampus, show that dose of 100 ug/kg was more effective in reducing the permeability of the BBB, levels of cytokines and myeloperoxidase. The dose of 10 and 100 ug/kg were effective in lowering TBARS and doses of 1 and 10 and 100 ug/kg were effective only in the reduction of NO. Carbonyl not showed significant result in any dose. Thus concluding that treatment with anti-CD40 antibody is effective in reducing cognitive impairment and inflammatory parameters in survivors of sepsis.en
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMicrobiologia médicapt_BR
dc.subjectSepticemiapt_BR
dc.subjectSistema nervoso - Doençaspt_BR
dc.titleInteração entre o receptor de membrana CD40 e o seu ligante CD40L sobre mecanismos neuroinflamatórios e comportamentais associados à sepsept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.isReferencedByDissertação (mestrado)pt_BR
dc.hasPart109331_Monique.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons