Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorMazzucco, Marcos Marcelino
dc.contributor.authorCarvalho, Patrícia de
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2018-07-07T00:09:02Z
dc.date.available2018-07-07T00:09:02Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/5234
dc.descriptionA Water Treatment Plant is responsible for the treatment of water for public supply, a process of fundamental importance in the supply of quality water for human consumption. The parameters of qualities required by environmental agencies, ensure that the water supplied doesn’t present any problems that may harm the population. Manganese in water is one of the problems, which can lead to stains on clothing and porcelain, bacteria proliferation, incrustations, taste, color and odor, if its value is present above the amount allowed in legislation. Currently, the methods of removal of manganese, aim at the use of oxidants such as hypochlorite, chlorine, potassium permanganate and chlorine dioxide. The present work sought to analyze the variability of manganese in raw water samples collected daily for analysis according to the test time, the waters were submitted to Jar-Test, that after the treatment were made of the reached value of manganese, observing the efficiency in the removal process. In the process of treatment of raw water at the Water Treatment Plant studied, the pre-chlorination step was applied in order to oxidize the metals, but the oxidation of manganese was not being efficient, and it was studied potential methods to guarantee the removal of the manganese. The pH was an analyzed parameter, aiming that the raw water had a pH value below that described in literature indicated for precipitation of the metal, tests were carried out with the most varied pH to investigate its influence. The parameters obtained in the Jar-Test test were compared with the main values required according to Administrative Rule number 2.914, of December 12, 2011, which indicates the water potability standards for use and human consumption, the pH tests were satisfactory, but it’s economic feasibility study presented a very high value when compared to the consumption per m3 of treated water in the Water Treatment Plant.pt_BR
dc.description.abstractUma estação de tratamento de afluentes é responsável pelo tratamento de água para abastecimento público, processo de fundamental importância no fornecimento de águas de qualidade para o consumo humano. Os parâmetros de qualidades exigidos por órgãos ambientais, garantem que a água fornecida não apresente eventuais problemas que venham a prejudicar a população. O manganês na água é um dos problemas e pode vir a acarretar manchas em roupas e porcelanas, proliferação de bactérias, incrustações, gosto, cor e odor, caso seu valor esteja presente acima do valor permitido em legislação. Atualmente os métodos de remoção do manganês, visam a utilização de oxidantes como hipoclorito de sódio, cloro, permanganato de potássio e dióxido de cloro. O presente trabalho, buscou analisar a variabilidade de manganês em amostras de água bruta, coletadas diariamente para análise conforme o tempo de ensaio. Foram feitos testes em jar-test, e após o processo eram feitas aferições do valor atingido de manganês, observando a eficiência no processo de remoção. No processo de tratamento da água bruta na estação estudada, a etapa de pré-cloração era aplicada a fim de que houvesse a oxidação dos metais, porém a oxidação do manganês não estava sendo eficiente, sendo estudados potenciais métodos que garantissem a remoção do mesmo. O pH foi analisado, pois a água bruta estava com o valor de pH abaixo do descrito na literatura para precipitação do metal. Foram realizados testes com diferentes pHs para investigação da sua influência. Os parâmetros obtidos em ensaio de jar-test foram comparados com os principais valores exigidos conforme a Portaria n° 2.914, de 12 de dezembro de 2011, que indica os padrões de potabilidade da água para uso e consumo humano. Os ensaios com pH foram satisfatórios, porém seu estudo de viabilidade econômica apresentou um valor muito alto quando comparado com o consumo por m3 de água tratada na Estação de Tratamento de Água.pt_BR
dc.format.extent55 f.pt_BR
dc.language.isosem idiomapt_BR
dc.relation.ispartofEngenharia Química - Tubarãopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectEstação de tratamento de águapt_BR
dc.subjectManganêspt_BR
dc.subjectAnálisespt_BR
dc.titleRemoção de Manganês em água de abastecimento públicopt_BR
dc.typeRelatório de Estágiopt_BR
dc.subject.areaEngenhariaspt_BR


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Exceto quando indicado o contrário, a licença deste item é descrito como Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons