Show simple item record

dc.contributor.advisorSchutz, Elinai dos Santos Freitas
dc.contributor.authorPeres, Bianca Piemontez
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2018-12-08T11:35:53Z
dc.date.available2018-12-08T11:35:53Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/6032
dc.description.abstractO aumento da expectativa de vida e o contínuo crescimento da população de idosos no Brasil e no Mundo tem aumentado a demanda por profissionais das diversas aéreas de conhecimento especializados nessa população. A prática regular de atividade física tem sido cada vez mais vista como uma das principais aliadas de uma melhor qualidade de vida e de um envelhecimento saudável. Diante desse quadro, o presente trabalho teve como objetivo principal analisar os níveis de aptidão física e a qualidade de vida de idosos praticantes de musculação em uma academia de Florianópolis. A amostra foi composta por 20 indivíduos, sendo 8 do sexo feminino e 12 do sexo masculino, com média de idade de 72±6 anos, praticantes de musculação há no mínimo três meses, escolhidos de forma não-probabilística intencional e por conveniência. Foi utilizado como instrumento de pesquisa o questionário de qualidade de vida WHOQOL – OLD, desenvolvido para a população idosa pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e a bateria de testes de aptidão física Sênior Fitness Test (SFT), composta por seis testes motores que avaliam os níveis de força dos membros superiores e inferiores, flexibilidade dos membros superiores e inferiores, agilidade/equilíbrio dinâmicos e a resistência aeróbica. Após a analise e descrição dos dados coletados, estes foram transportados para uma planilha do Excel e apresentados em forma de gráficos e tabelas. Através dos resultados verificou-se que a maioria dos participantes teve avaliada positivamente a sua qualidade de vida, sendo classificada como boa. Já a avaliação da aptidão física indicaram resultados dentro dos padrões estabelecidos para a idade e sexo da maioria dos participantes, com exceção da flexibilidade, onde a maioria dos participantes foi classificada como fraco ou muito fraco.pt_BR
dc.format.extent30 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofEducação Física Bacharelado - Pedra Brancapt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectQualidade de vidapt_BR
dc.subjectAptidão físicapt_BR
dc.subjectIdosospt_BR
dc.titleAptidão física e qualidade de vida de idosos praticantes de musculação em uma academia de Florianópolispt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons