Show simple item record

dc.contributor.advisorSabino, Rafael Giordani
dc.contributor.authorNunes, Lúcia Bianchini
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2018-12-10T13:13:40Z
dc.date.available2018-12-10T13:13:40Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/6076
dc.descriptionThe purpose of this study is to analyze the possibility of relativizing the institution of shared custody when there is no consensus among parents based on the peculiarities of the case and the decisions of the Superior Court of Justice. As for the level of research, the exploratory was used and the approach was qualitative. Regarding the procedure, the research was bibliographical, since books and doctrines on family power and shared and documentary custody were studied, in view of the study of the two judgments emanating from the Superior Court of Justice and of laws and documents related to the subject. This work was structured in five chapters, with the first chapter of Introduction. In the second, family power was presented in Brazilian law. Afterwards, in the third chapter, he was lectured about the institute of guard in Brazilian legislation. In the fourth chapter, it was demonstrated the divergence in the jurisprudence of the Third Panel of the Superior Court of Justice and the position of the Ministers. At the end, Conclusion was presented. According to the study, it was observed that the divergence existing in the 3rd Panel of the Superior Court of Justice has not yet been standardized regarding the mitigation of §2 of article 1584 of the Civil Code, when the disagreement between parents is insurmountable. In this way, it was concluded that shared custody can be relativized when there is no consensus among the parents, according to the family situation presented in each case and, thus, there is a possibility of mitigating the application of §2º of article 1,584 of Civil Code, justified by the principle of the best interests of the children.pt_BR
dc.description.abstractO presente trabalho tem por objetivo analisar a possibilidade de se relativizar a instituição da guarda compartilhada quando não há consenso entre os pais com base nas peculiaridades do caso e nas decisões do Superior Tribunal de Justiça. Quanto ao nível de pesquisa, foi utilizado o exploratório e a abordagem foi a qualitativa. Em relação ao procedimento, a pesquisa foi bibliográfica, em razão de terem sido estudados livros e doutrinas sobre o poder familiar e a guarda compartilhada, e documental, tendo em vista o estudo dos dois acórdãos oriundos do Superior Tribunal de Justiça e de leis e documentos correlatos ao assunto. Este trabalho foi estruturado em cinco capítulos, com o primeiro capítulo de Introdução. No segundo, foi apresentado o poder familiar no direito brasileiro. Após, no terceiro capítulo, foi dissertado sobre o instituto da guarda na legislação brasileira. No quarto capítulo, foi demonstrada a divergência na jurisprudência da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça e o posicionamento dos Ministros relatores. Ao final, foi apresentada a Conclusão. Conforme o estudo realizado, observou-se que a divergência existente na 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça ainda não foi uniformizada no que tange à mitigação do §2º do artigo 1.584 do Código Civil, quando a discordância entre os pais seja insuperável. Desta forma, concluiu-se que a guarda compartilhada pode ser relativizada quando não há consenso entre os genitores, de acordo com a situação familiar apresentada em cada caso e, assim, existe a possibilidade de se mitigar a aplicação do §2º do artigo 1.584 do Código Civil, justificando-se em decorrência do princípio do melhor interesse dos filhos.pt_BR
dc.format.extent72 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofDireito - Tubarãopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectDireito de famíliapt_BR
dc.subjectGuarda compartilhadapt_BR
dc.subjectGuarda de menorespt_BR
dc.subjectJurisprudênciapt_BR
dc.titlePossibilidade de relativizar a instituição da guarda compartilhada quando não há consenso entre os pais: uma análise jurisprudencialpt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons