Show simple item record

dc.contributor.advisorCavalieri, Gilmarpt_BR
dc.contributor.authorPerotti, Karla Robertapt_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T14:59:50Z
dc.date.available2016-11-30T14:59:50Z
dc.date.issued2014
dc.identifier1791pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/758
dc.description.abstractEste trabalho tratou sobre a estabilidade provisória da gestante no contrato de experiência, motivo pelo qual apresentou entendimentos doutrinários e jurisprudenciais com relação à redação da Súmula nº 244, do Tribunal Superior do Trabalho e que foi modificada no ano de 2012 para garantir este direito às trabalhadoras que se encontravam empregadas por intermédio de contrato por prazo determinado. Utilizou-se, então, de alguns entendimentos jurisprudenciais proferidos pelo Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região que passou a reconhecer a estabilidade provisória da gestante nos contratos de experiência, conforme reza o item III da Súmula nº 244, do Tribunal Superior do Trabalho. Chegou-se à conclusão, portanto, que também a doutrina tem se manifestado pela concessão da estabilidade provisória da gestante em contrato de experiência, já que este é direito que visa proteger não somente a trabalhadora, mas, inclusive, o nascituro. Para alcançar o objetivo geral traçado, qual seja, analisar os posicionamentos doutrinários e jurisprudenciais proferidos pelo Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região com relação a esta respectiva estabilidade provisória da gestante nos contratos de experiência, utilizou-se, então, do método dedutivo, porque este trabalho se iniciou tratando do contrato de trabalho, para depois analisar o contrato de experiência, a estabilidade e garantias de emprego e, finalmente, a Súmula nº 244, do Tribunal Superior do Trabalho. Além disso, destaca-se o emprego da técnica da documentação indireta e que consiste em pesquisas documentais e bibliográficas realizadas na legislação, na doutrina, em artigos e jurisprudências sobre o tema proposto. Frisa-se, assim, que não se teve por escopo esgotar os ensinamentos acerca desta temática, mas demonstrar a sua importância e aplicação pelo Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região, já que este Tribunal apenas se manifestou igualmente ao decidido pelo Tribunal Superior do Trabalho que, aliás, antes da alteração do item III, da Súmula nº 244 já tinha precedentes sobre este assuntopt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofDireito - Florianópolis
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEstabilidade no empregopt_BR
dc.subjectMulheres grávidas - Empregopt_BR
dc.titleEstabilidade provisória da gestante no contrato de experiência no entendimento do tribunal regional do trabalho da 12ª regiãopt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.isReferencedByMonografia (Curso de Direito).pt_BR
dc.hasPart109928_Karla.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons