Show simple item record

dc.contributor.advisorCarvalho, Paulo Calgaro dept_BR
dc.contributor.authorVieira, José Eduardopt_BR
dc.date.accessioned2016-11-30T14:59:52Z
dc.date.available2016-11-30T14:59:52Z
dc.date.issued2009
dc.identifier427pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/775
dc.description.abstractCom o advento da Lei n.º 9.099/95 que criou o Juizado Especial Criminal, adotou-se uma mudança de estratégia processual, objetivando agilizar e desburocratizar a prestação jurisdicional quando da incidência das infrações criminais definidas como de menor potencial ofensivo. Desta forma, essa legislação é alicerçada e embasada nos princípios da oralidade, simplicidade, informalidade, economia processual e celeridade, que servem de critérios orientadores do Juizado Especial Criminal. No intuito de resolver essa demanda criminal de forma mais eficiente e célere, o termo circunstanciado surgiu como um novo procedimento investigativo, previsto pelo próprio legislador a ser lavrado pela autoridade policial que tomar conhecimento da ocorrência, incluindo-se nesse contexto os integrantes da Polícia Militar, pertencentes ao sistema de segurança pública previsto na Constituição Federal e responsáveis pela manutenção da ordem pública, com a competência legal para a sua confecção. Esse posicionamento é defendido pela maioria dos doutrinadores, bem como pelo Poder Judiciário e o Ministério Público que em diversas manifestações vem consolidando esse entendimento. A Polícia Militar de Santa Catarina começou a adotar tal procedimento, inicialmente de forma experimental e tímida, mas com o tempo expandiu essa prática. O presente trabalho discorre da regulamentação da lavratura do termo circunstanciado pela Polícia Militar de Santa Catarina, estudando e analisando a Diretriz de Procedimento Permanente nº 037/2008 que estabelece e padroniza tal procedimento, verificando se esse termo circunstanciado realizado pela Polícia Militar de Santa Catarina respeita e atende os princípios estabelecidos na lei n.º 9.099/95 como orientadores do Juizado Especial Criminal.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofDireito - Florianópolis
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectJuizados especiais criminaispt_BR
dc.subjectPolícia militarpt_BR
dc.titleO termo circunstanciado realizado pela Polícia Militar de Santa Catarina e os critérios orientadores do juizado especial criminalpt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.isReferencedByMonografia (graduação em Direito)pt_BR
dc.hasPart98243_Jose.pdfpt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons