Show simple item record

dc.contributor.advisorBallestreri, Érica
dc.contributor.authorRabelo, Janini Rocha
dc.coverage.spatialTubarãopt_BR
dc.date.accessioned2019-09-11T01:50:29Z
dc.date.available2019-09-11T01:50:29Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/8128
dc.descriptionAbstract: The use of sun protection is of fundamental importance when there is excessive exposure to ultraviolet radiation and in the prevention of skin cancer. Therefore, a descriptive study was carried out with comparative and quantitative effect, aiming to characterize the behavior of the use of solar protection in rural and urban environments, especially to the care and consequences caused by exposure to ultraviolet radiation. A total of 156 volunteers were interviewed, 78 volunteers who work directly with agriculture and 78 volunteers with different occupations, who do not require too much sun exposure, in the municipalities of Içara and Jaguaruna in the south of Santa Catarina, a questionnaire was applied with questions about the subject. The results show the average age of the volunteers in rural areas was between 46 to 55 years, in the urban area the average age was between 36 and 45 years. In the urban area, 1.30% said they did not know about sun protection, while in the rural area 12.99% said they did not know any means of protection with ultraviolet radiation. In the question of the use of sunscreen 92.21% of respondents in the urban environment said they use and 90.63% of the respondents in the rural area claimed to use sunscreen. Regarding the time of sun exposure, 32.05% of the farmers reported working for more than 45 years in activities that require sun exposure, while 59.49% of urban respondents reported never having worked in activities that required sun exposure, but 11, 39% of them have worked in this area for about 11 to 20 years, which in many cases characterizes the rural exodus. In the rural area, 36.71% reported not worrying about the hours of sun exposure and 14.46% said they were exposed to the sun from 10:01 am to 4:00 p.m., in urban areas 2.53% of those interviewed reported exposing themselves in the sun from 10:01 to 4:00 p.m. and 25.30% say do not worry about the exposure times. Of the volunteers interviewed in rural areas, 8.06% reported that they started using sun protection over 60 years and only 16.13% between 10 and 20 years of age in the urban environment. 24.32% said they started as children, while none of the respondents reported having initiation after age 60. When the question was about the existence of concern about signs and spots regarding the risk of skin cancer, 43% of urban volunteers said yes, while in rural areas this figure was 32%. The occurrence of skin cancer was 3 cases for the rural environment and 1 case for urban environment, and in 4 cases the volunteers are over 56 years old. In this way this study concluded that the knowledge and the use of solar protection in the rural environment is smaller in relation to the urban environment. Therefore, educational measures and awareness strategies are necessary in order to avoid injuries and skin cancer.pt_BR
dc.description.abstractResumo: O uso de proteção solar é de fundamental importância quando há exposição a radiações ultravioleta e na prevenção de câncer de pele. com o objetivo de avaliar o uso de proteção solar no meio rural e urbano, em especial aos cuidados e consequências causada pela exposição desregrada a radiação ultravioleta, foi realizado um estudo descritivo, com efeito comparativo e quantitativo. Foram entrevistados 156 voluntários no total com idade entre 25 e 85 anos, sendo 78 voluntários que trabalham diretamente com agricultura e 78 voluntários com ocupações diferenciadas, que não exige demasiada exposição solar, nos municípios de Içara e Jaguaruna no sul de Santa Catarina, entre os messes de abril e junho do ano de 2019. Os critérios de inclusão para a pesquisa foram homens e mulheres que atuam no trabalho do campo e em outras ocupações sem exposição solar demasiada, os critérios de exclusão foram homens e mulheres menores de 25 anos. Para a realização do estudo algumas medidas éticas foram tomadas como: assinatura do termo de consentimento livre esclarecido pelos voluntários; direito de participar ou não do estudo; preservação do anonimato; sigilo das informações que não autorizem ou não desejem a divulgação; agendamento da coleta de dados de forma a não interferir nas atividades de trabalho dos participantes, restituição dos dados para os participantes do estudo e para a Universidade. Os resultados mostram que a média de idade dos voluntários no meio rural ficou entre 46 a 55 anos, já no meio urbano a média de idade ficou entre 36 a 45 anos. No meio urbano 1,30% dizem não conhecer meios de proteção solar, já na zona rural 12,99% disseram desconhecer quaisquer meios de proteção contra radiações ultravioleta. Na questão da utilização de filtro solar 92,21% dos entrevistados no meio urbano disseram que utilizam e 90,63% dos entrevistados no meio rural afirmaram usar filtro solar. Quanto ao tempo de exposição solar 32,05% dos agricultores afirmaram trabalhar há mais de 45 anos em atividades que exigem exposição solar, enquanto 59,49% dos entrevistados da zona urbana relataram nunca ter atuado em atividades que exigiam exposição solar. No meio rural 36,71% relataram não se preocupar com os horários de exposição solar e 14,46% disseram que se expõe ao sol das 10:01 as 16:00 horas, no meio urbano 2,53% dos entrevistados relatam se expor ao sol das 10:01 as 16:00 horas e 25,30% diz não se preocupar com os horários de exposição. Quando a questão foi sobre a existência de preocupação com sinais e manchas pensando no risco de câncer de pele, 43% dos voluntários do meio urbano disseram sim, que se preocupam enquanto no meio rural esse número foi de 32%. A ocorrência de câncer de pele foi de 3 casos para o meio rural e 1 caso para meio urbano, sendo que nos 4 casos os voluntários possuem mais de 56 anos. Desta forma este estudo concluiu que o conhecimento e o uso de proteção solar no meio rural é mais deficiente em relação ao meio urbano. Sendo assim se faz necessário medidas educativas e estratégias de conscientização, a fim de evitar lesões e o câncer de pele.pt_BR
dc.format.extent34 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofEstética e Bem Estar - Tubarãopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectProteção solarpt_BR
dc.subjectCâncer de pelept_BR
dc.subjectRadiação ultravioletapt_BR
dc.titleEstudo comparativo sobre o uso de proteção solar no meio rural e urbanopt_BR
dc.title.alternativeComparative study on the use of solar protection in the rural and urban environmentpt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons