Show simple item record

dc.contributor.advisorBartilotti, Carolina Bunn
dc.contributor.authorCamargo, Daniele Carolini Barbosa de
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2019-12-12T17:01:08Z
dc.date.available2019-12-12T17:01:08Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/8930
dc.description.abstractA presente pesquisa teve como objetivo caracterizar os fatores que contribuem para o bem-estar no trabalho de profissionais técnicos que atuam em um CREAS da Grande Florianópolis. Esse objetivo surge em razão desses profissionais lidarem diariamente com situações de violência no atendimento aos usuários do CREAS, tomou-se como hipótese que esse é um fator que pode prejudicar o nível de bem-estar no trabalho. Para abordar o bem-estar foi utilizado o modelo teórico proposto por Siqueira e Padovam (2008), que entende o fenômeno composto por três componentes: satisfação no trabalho, envolvimento com o trabalho e comprometimento organizacional afetivo. A classificação da presente pesquisa configurou-se como natureza qualitativa, delineamento como um estudo de caso, o objetivo é de uma pesquisa descritiva e corte do tipo transversal. Participaram da pesquisa cinco profissionais, todas mulheres, que foram submetidas a uma entrevista e aplicação de escalas. A análise dos resultados, identificou que os fatores que contribuem para a satisfação no trabalho são referentes à chefia, colegas, usuários e natureza do trabalho. No que tange ao envolvimento com o trabalho, os fatores contribuintes são referentes à habilidade, feedback e tarefas. E quanto ao comprometimento organizacional afetivo, os fatores contribuintes são à ligação positiva com a organização e identificação com os seus valores e objetivos. Conclui-se que as profissionais do CREAS são permeadas por bem-estar no trabalho, devido terem sido constatados mais fatores que contribuem para o bem-estar no trabalho do que fatores que prejudicam esse fenômeno. Contudo, é interessante ressaltar que isso não significa que elas estejam totalmente satisfeitas no trabalho, envolvidas com o trabalho e comprometidas afetivamente com a organização. Dado que existem fatores dessas dimensões que poderiam ser ajustados para que passem a contribuir com o bem-estar no trabalho, como: salário, promoções, metas e repercussão na vida; e os demais fatores, como: chefia, colegas, usuários, natureza do trabalho, habilidade, feedback, tarefas, ligação positiva com a organização e identificação com valores e objetivos devem ser mantidos visando a garantia do bem-estar no trabalho das profissionais técnicas do CREAS.pt_BR
dc.format.extent33 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofPsicologia - Pedra Brancapt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectBem-estar no trabalhopt_BR
dc.subjectSaúde do trabalhadorpt_BR
dc.subjectCREASpt_BR
dc.titleBem-estar no trabalho de profissionais técnicos que atuam em um CREAS da Grande Florianópolispt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências Humanaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons