Show simple item record

dc.contributor.advisorDutra, Luciano
dc.contributor.authorBrandão, Maria Eduarda Lins
dc.coverage.spatialFlorianópolispt_BR
dc.date.accessioned2020-05-24T16:50:29Z
dc.date.available2020-05-24T16:50:29Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/9451
dc.description.abstractO processo de urbanização e as políticas de planejamento adotadas pelo Brasil, combinados com o desenvolvimento desenfreado e caótico das grandes cidades geraram no passado (e continuam trazendo num ritmo ainda mais acelerado hoje) inúmeros conflitos para os cidadãos brasileiros. Quando o automóvel é priorizado e a falta de transportes coletivos somados são fatores responsáveis pelo crescimento desordenado da malha urbana, percebe-se que o país sofre com problemas na infraestrutura do sistema viário e consequentemente na mobilidade. A região central de Florianópolis é o local para o qual a grande maioria dos moradores de Palhoça, São José, Biguaçu e a parte continental da cidade se deslocam todos os dias para trabalhar, estudar e procurar lazer. Tendo em vista que as pontes Colombo Salles e Pedro Ivo são as únicas formas de acesso à ilha, logo conclui-se que é inviável o uso exclusivo do carro como modal neste centro urbano. Além da área continental, moradores das áreas Sul, e Norte da ilha, que também buscam o centro para exercer tais atividades, se deparam da mesma forma com rotas onde a mobilidade é prejudicada pela alta rotatividade, e baixa qualidade da infra estrutura. O plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (PLAMUS, 2014) mostra alguns dados preocupantes que confirmam o motivo da dificuldade na melhoria da mobilidade: tarifas altíssimas de transporte público, e pouco incentivo e benefícios para seus usuários; a dispersão e a morfologia urbana, fatores que obrigam as pessoas a fazerem viagens longas diariamente para exercer suas atividades; pouquíssimas ciclovias e acessibilidade quase nula nas ruas da cidade. Visando esse contexto, o presente trabalho tem como objetivo trazer os princípios da mobilidade urbana funcional e qualificada para a cidade de Florianópolis, usando como principal estratégia a integração de modais em uma escala macro, e depois reduzir a área de trabalho e propor em um único eixo a integração de sistemas modais de transporte de passageiros, e promover o que melhor funciona das cidades: a caminhabilidade.pt_BR
dc.format.extent68 (TCC 1); 2 (TCC 2)pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofArquitetura - Florianópolispt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectMobilidadept_BR
dc.subjectEstação hidroviáriapt_BR
dc.titleEstação hidroviária: estratégia para promover a mobilidade sustentávelpt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.subject.areaCiências Sociais Aplicadaspt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons